O "Rei do Blues" B. B. King voltou para casa em Las Vegas depois de permanecer uma semana hospitalizado. Enquanto o astro da #Música, de 89 anos, segue com acompanhamento médico em sua residência, o primeiro round da disputa entre três de seus 11 filhos ainda vivos e sua empresária de longa data, Laverne Toney, chega ao fim. Em abril, Karen Williams, Rita Washington e Patty King acusaram Laverne, que administra os negócios de B. B. King, de exploração e maus-tratos.

"É muito triste o que as pessoas estão fazendo com o legado de meu pai", disse Shirley King, filha mais velha do 'bluesman', que não compõe a tropa de choque contra sua agente.

Publicidade
Publicidade

"Não tenho certeza a respeito de como as coisas estão sendo conduzidas, mas isso tudo é um desrespeito à sua história", acrescentou ela.

Por trás das acusações de roubo e negligência em relação à saúde de B. B. King há muito dinheiro em disputa. Mais, especificamente, algo em torno de US$ 5 milhões - o equivalente a R$ 14,9 milhões. "Todo este escândalo é por dinheiro, infelizmente", disse um dos advogados do artista, Brent Bryson, depois de o juiz Jon Norheim, da Vara de Família de Clark Count, indeferir o pedido de intervenção das três filhas. "Como B. B. King não se apresenta mais, desde outubro do ano passado, a única forma que elas têm de obter dinheiro é com este tipo de ação. É lamentável", acrescentou Bryson.

O juiz Norheim determinou duas investigações, após receber o pedido de tutela das filhas de B.

Publicidade

B. King, e não foram encontradas evidências de maus-tratos em nenhuma delas. "O 'Sr. King' tem sérios problemas de saúde, mas ele é absolutamente capaz e tem ciência dos atos de sua vida civil. Ele é bem tratado e medicado", pontuou o magistrado, em sua decisão. "Laverne Toney segue como sua procuradora".

Mas as filhas de B. B. King não se deram por vencidas. "Perdemos uma batalha, mas não perdemos essa guerra", declarou Karen Williams. Contra ela, testemunharam o advogado pessoal do artista, Arthur Williams Jr., e seu médico, Darin Brimhall. Além disso, a petição de Karen, para ter valor jurídico nos Estados Unidos, teria que trazer as assinaturas de cada um dos filhos e netos vivos do 'bluesman'.

Entre suas acusações, ela dizia que Laverne impedia amigos próximos de B. B. King, como Buddy Guy, Carlos Santana e Eric Clapton, de visitá-lo, que ela tinha incluído parentes na folha de pagamento do guitarrista e que havia desviado dinheiro - cerca de US$ 1 milhão - de suas contas. "São alegações incabíveis", afirmou o advogado Brent Bryson. #Famosos #Justiça