Além de Dia do Trabalho, o dia 1 de maio também é Dia da Literatura Brasileira. A média brasileira de leitura não é alta. Para completar, adolescentes não têm costume de ler os #Livros da literatura brasileira que normalmente são indicados no colégio. A maioria não os leu ou leu e não gostou. Na vida adulta, entretanto, com uma nova concepção de leitura e após o gosto pelos livros ter se firmado, é extremamente enriquecedor ler ou reler alguns desses livros.

Confira sete livros que você não leu durante a adolescência e deveria ler atualmente ou que deve reler.

Capitães de Areia

O livro de Jorge Amado sempre é lembrado durante a época do colégio.

Publicidade
Publicidade

Lançado em 1937, o livro conta a história de meninos pobres e infratores de Salvador, que vivem à margem de convenções sociais. Ao longo da história, conhecemos as ambições e carências de cada um desses meninos. 

Dom Casmurro

O clássico de Machado de Assis lançado em 1899 já ganhou até minissérie na Rede Globo em 2008. A história é narrada por Bento Santiago em primeira pessoa, com relatos de sua juventude até seus dias atuais. Ele fala sobre sua relação com Capitu e o ciúme que sentia. Por se tratar de um relato em primeira pessoa, resta a dúvida se a traição e ambiguidade de Capitu é real. É um dos livros mais famosos da literatura do Brasil até hoje.

Memórias Póstumas de Brás Cubas

O livro de 1881 também foi escrito por Machado de Assis. O escritor faz uma crítica à sociedade a partir de um 'defunto-autor', não um 'autor-defunto', como é definido no livro.

Publicidade

A obra faz um bom retrato do Brasil do século XIX e toda sua mesquinharia. 

Lusíadas

A obra de Luís Vaz de Camões, lançada em 1572, é considerada a maior da literatura portuguesa. A obra fala sobre as realizações dos navegadores portugueses pelos novos mares. O poema épico tem Vasco da Gama e os demais marinheiros como protagonistas em seu caminho até a Índia. Lusíadas tem toques de cultura clássica e mitologia. 

A Hora da Estrela

Uma das obras mais famosas de Clarice Lispector, publicado em 1977. O livro fala da vida triste e sem perspectiva da nordestina Macabéa. A ingênua Macabéa vai morar no Rio de Janeiro, onde encontra cultura e valores bem diferentes dos que conhecia.

Memórias de um Sargento de Milícias

O livro de Manuel Antônio de Almeida foi lançado em 1852 e conta a história do anti-herói Leonardo, que escolhe a vadiagem como ocupação de vida, mas acaba virando um sargento de milícias. A obra pode ser lida como uma sátira aos costumes brasileiros da época de dom João VI.  #Educação #Dicas

Macunaíma

Escrito por Mário de Andrade e publicado em 1928, o livro é um maiores romances modernistas do país. Macunaíma é o protagonista, índio sem caráter algo que representa o brasileiro. Ele tem grande atração por São Paulo e a máquina, que representa a modernidade. Macunaíma fica encantado com a civilização moderna e se vê dividido entre o lugar que morava, próximo à natureza, e São Paulo, "a maior cidade do universo" e todas as suas maravilhas.