Quando a Pixar anunciou o adiamento de novos projetos e que não lançaria nenhum filme nos cinemas em 2014, fãs e críticos ficaram alarmados. A situação levou todos a se perguntarem se o estúdio de animação mais bem-sucedido e inovador dos últimos 20 anos não estaria passando por uma crise de criatividade. A desconfiança só acabou com as primeiras exibições do novo filme da produtora, "Divertida Mente", no qual a Pixar mais uma vez surpreende, afastando os rumores de uma crise e levando emoções, literalmente, aos cinemas.

Na animação, que estreou nos cinemas brasileiros na quinta-feira (18), o público é levado a conhecer o interior de si mesmo pela aventura na mente da garota Riley, de 11 anos, onde há uma central de controle das reações comandada pelas emoções, representadas pelos personagens Alegria, Tristeza, Nojinho, Medo e Raiva.

Publicidade
Publicidade

São elas que têm a missão de ajudar Riley a encarar a dificuldade de transição para uma cidade nova, o que se complica quando a Alegria e a Tristeza se perdem nos lugares profundos da mente da menina e enfrentam vários obstáculos para voltar à central de controle.

"Divertida Mente" surpreendeu positivamente a crítica especializada e foi inclusive aplaudido de pé em sua exibição no sisudo festival de Cannes, em maio. Nos Estados Unidos, há comentários mais empolgados afirmando que este seria o melhor filme da Pixar feito até o momento. No Brasil, o crítico Pablo Villaça afirmou, em crítica no site #Cinema em Cena, que "há muito tempo a Pixar não presenteava o público com um filme tão imaginativo". Enquanto que para Ritter Fan, do site Plano Crítico, "Divertida Mente" tem um roteiro "em iguais medidas engraçado e emocionante que fará rir e derreterá corações de crianças e adultos igualmente".

Publicidade

Sucesso com adultos e crianças

É interessante perceber como a Pixar consegue encantar com maestria adultos e crianças em uma quase unanimidade difícil de encontrar hoje em dia. Sobre isso, Fernanda Furia, mestre em Psicologia de Crianças e Adolescentes pela University College London e fundadora do Playground da Inovação - blog e consultoria de Inovação em Psicologia e Educação, comenta que os filmes da produtora "conseguem unir vários ingredientes necessários para agradar pessoas de diferentes idades: muita criatividade, humor, emoções e conflitos universais, riqueza de expressões faciais, altíssima qualidade visual, ótimas trilhas sonoras e muita fofura. Tudo isso toca crianças e adultos".

Quanto ao interesse dos mais velhos, Fernanda atribui isso à necessidade de estímulos que nutram o lado lúdicos dos adultos, sobretudo em um momento no qual o mundo se encontra envolto no meio de crises econômicas, violência, terrorismo, catástrofes ambientais e conflitos religiosos que tornam o cotidiano bastante tenso.

Publicidade

Nesse contexto, "a linguagem transmitida através da animação, da brincadeira, das cores vivas e do humor dribla as nossas defesas emocionais e atinge o nosso inconsciente mais facilmente".

De fato, além das críticas positivas, espera-se também que o público dê um ótimo retorno nas exibições do filme nos cinemas, que começaram no Brasil no dia 18 de junho. Nos cinemas americanos, está previsto um faturamento de US$ 60 milhões apenas na primeira semana de exibição. Se confirmado, "Divertida Mente" deve manter a tendência da Pixar de obter grande sucesso de público e crítica. #Entretenimento