O artista plástico indiano-britânico Anish Kapoor (61 anos) está causando polêmica com sua obra Dirty Corner ("Canto Sujo" ou "Canto Obsceno"), rebatizado pelos franceses como "a vagina da rainha", sobretudo nos círculos conservadores franceses, conta o The Guardian.

Canto Sujo é uma gigantesca escultura de metal instalada dos jardins do Palácio de Versalhes, antiga residência da realeza francesa, nos arredores de Paris. A instalação é um grande funil de aço colocado em meio a pedras quebradas, com a abertura virada para a entrada do Palácio. O que está deixando os apreciadores da obra (e os não apreciadores também) em alvoroço é a dúvida.

Publicidade
Publicidade

De qual rainha Kapoor está falando? De qual rainha é a genital? Segundo o The Guardian, a obra possivelmente faz referência a Maria Antonieta, mulher do rei Luís XVI.

Kapoor, que em suas obras tem como referência constante a sexualidade e, em particular, a sexualidade feminina, disse ao Le Journal du Dimanche que o trabalho representa "a vagina da rainha tomando o poder". Por qual motivo os franceses (leia-se grupos de extrema direita e ultra-católicos) estão escandalizados com a escultura, mesmo sendo os franceses famosos por suas generosidades em assuntos sexuais (nas artes, na cultura)? Parece que a obra sensual é uma afronta à #História do país.

Grupos ultraconservadores estão fazendo chamadas para que as pessoas boicotem o lugar que recebe todos os anos cerca de 20 milhões de visitantes.

Publicidade

O presidente da Câmara de Versalhes (um tipo de prefeito de Versalhes), François de Mazières, do partido de direita "republicano" de Nicolas Sarkozy, declarou recentemente (via Twitter) que Kapoor "patinou" com o trabalho em questão.

Na imprensa, alguns acadêmicos franceses saíram em defesa da escultura, sem conseguir aplacar a polêmica. Na última sexta-feira (05 de maio), em uma entrevista, Kapoor declarou que a obra é, na verdade, "uma obra com várias interpretações possíveis". "Obviamente se trata de nossos corpos e contém certo nível de sexualidade. Mas não se reduz a isso", afirmou Kapoor estressado.

O interessante dessa polêmica é que os críticos afirmam que a escultura ofende a memória sagrada da família real francesa. A mesma família real cujos representantes de liderança foram guilhotinados em nome do povo francês, em 1789.

Não é, de forma alguma, a primeira vez que a França está envolvida por uma polêmica no mundo das artes. Em outubro de 2014, na Place Vendôme, o trabalho do artista contemporâneo norte-americano Paul McCarthy (69 anos) intitulada Tree ("Árvore"), uma enorme árvore verde inflável (24 metros de altura) também gerou dúvidas e polêmicas.

Publicidade

A instalação se parecia com uma árvore de Natal e/ou um vibrador gigante, segundo os turistas e os franceses. O trabalho foi sabotado e em uma manhã apareceu esvaziado.

Controvérsias à parte, a obra com 10 metros de altura, 60 metros de comprimento e milhares de toneladas, a "super vagina" de Anish Kapoor, ficará exposta em Paris até 01 de novembro de 2015. #Arte #Comportamento