Para quem tem saudades da Rádio Fluminense FM - A "Maldita" - a preferida entre os roqueiros brasileiros nos anos 80 e 90, principalmente no Rio de Janeiro, poderá matá-las comparecendo à exposição "MALDITA 3.0 - No Universo da Rádio Fluminense" que acontece até o dia 11 de julho no Espaço Cultural Correios, em Niterói.

A exposição está muito bem organizada, com dois espaços. No primeiro piso o visitante poderá ver posters de bandas de rock dos anos 80 e 90 que participavam das programações da rádio, como The Jam, The Smiths, Echo and the Bunnymen, Siouxie and the Banshees, elementos da Surf Music, quadros sobre o programa "Novas Tendências" que noticiava novas bandas que surgiam e um poster promocional do álbum "As 4 Estações" da Legião Urbana. Estão à disposição fones de ouvido para que se ouçam sucessos da época.

No segundo piso, mais posters e instrumentos autografados, um espaço para se sentar nos pufes pretos, relaxar e ouvir muito Rock 'n 'Roll, através dos fones, diversas fotos, a maioria em preto e branco, de astros brasileiros e internacionais, não só roqueiros, mas também músicos da MPB e do Reggae.

O rock brasileiro não ficou de fora, logicamente, já que a Flu-FM ajudou a lançar inúmeros grupos que fizeram muito sucesso e fazem até hoje, como Os Paralamas do Sucesso, a Legião Urbana, o Barão Vermelho, Titãs, Kid Abelha, Blitz, Plebe Rude, Celso Blues Boy e Saloon & CIA, grupo niteroiense cuja vocalista Adriana Ninsk fazia parte, gravando o blues "Alma Negra" com sua belíssima voz, e dando merecido espaço ao roqueiro e blueseiro Zé da Gaita, conhecido pela suas magníficas performances com a gaita. Dentre esses, os Paralamas e a Legião, dois dos mais importantes grupos de rock brasileiro, enviaram fitas-demo para a rádio com a finalidade de se lançarem. E o resultado, todos já sabem.

A exposição também lembra os lendários locutores, que ajudaram em muito no sucesso da "Maldita", como Luiz Antonio Mello, Mylena Ciribelli e Mônica Venerabille, Maurício Valadares, entre outros.

Criada em 82, em Niterói (RJ), a extinta rádio Fluminense FM, também conhecida como Maldita, foi muito popular durante os anos 80, principalmente entre os roqueiros. Em sua programação, grupos como The Smiths, New Order, The Cure, U2 foram ouvidos pelos brasileiros pela primeira vez, graças à "Maldita", sem esquecer, claro, dos veteranos. Nos anos 90, Nirvana, Pearl Jam, Red Hot Chili Peppers, R. E. M e Guns N'Roses também foram "lançados" pela Fluminense FM, começando como novidades no rock e se mantendo como atrações principais consagradas.

Alguns dos programas da rádio eram o "Rock Alive", apresentado por Maurício Valladares e Liliane Yusim. O "Rock Alive", o mais eclético de todos, chegou a tocar músicas da sambista Clementina de Jesus. Outros programas eram o "Módulo Especial", com meia hora de músicas de um artista, "Guitarras" de rock pesado, "Espaço Aberto", rock brasileiro e um pouco de MPB, "Rush", músicas mais tranquilas para se ouvir na hora do rush carioca, "Novas Tendências" e o "Black and Blue", com blues, reggae e variações de #Música negra.

Com problemas financeiros, em 30 de setembro de 1994 a Fluminense FM encerrava suas transmissões à meia-noite. A música de encerramento escolhida foi "The End", clássico do primeiro LP dos Doors, homônimo à banda, de 1967.

Mas segundo um dos organizadores da exposição, uma boa notícia: A "Maldita" poderá voltar, e no antigo formato! Roqueiros, preparem desde já os seus ouvidos! #Rio Cultura #Expo