Ainda há quem duvide que o mundo digital veio para transformar, por completo, não só nossa forma de registrar o mundo como também nossas relações. Bom, todos os dias temos provas irrefutáveis disto. “Tangerine”, que estreia nos cinemas norte-americanos nesta sexta-feira, dia 10, é uma dessas evidências – ainda não há previsão para sua exibição no Brasil.

O novo filme do diretor Sean Baker (de “Uma Estranha Amizade” e “Take Out”) foi uma das sensações do Festival de Sundance, mas o que poucos dos presentes e jurados imaginavam é que ele foi feito com um iPhone 5S igual ao que muitos deles tinham no bolso.

Assisti “Tangerine” e o que vi pode ser resumido como o nascimento de uma nova fase para o #Cinema.

Publicidade
Publicidade

Um dos filmes que me inspirou foi ‘Summer Red Hook’, de Spike Lee, em que um cineasta grava vídeos com seu iPad”, conta Baker. “Toda vez que a edição cortava para as imagens do iPad eu pensava: ‘isso é interessante’. Parecia com o ‘Dogma 95’, só que em alta resolução. Depois, pesquisei no Vimeo alguns curtas-metragens feitos com iPhone e tive certeza de que essa é uma categoria que veio para ficar”.

As pessoas que têm conhecimento de fotografia e vídeo digitais conseguem perceber as limitações do iPhone, mas o resultado final é impressionante e ninguém conseguiria imaginar que “Tangerine” foi feito com um telefone celular. Para ter uma imagem mais “cinematográfica”, como o próprio diretor diz, foram usadas lentes da Moondog Labs – ainda em desenvolvimento – e filtros do aplicativo Filmic Pro.

Publicidade

O custo total do filme foi de pouco mais de US$ 100 mil, um baixo orçamento para os padrões norte-americanos.

Neste orçamento estavam incluídos três iPhone 5S – foram usados no máximo dois por cena, operados por Baker e seu diretor de fotografia, Radium Cheung – e um steadicam Smoothee. “Alguns takes em movimento fiz andando de bicicleta, com uma mão no guidão e outra segurando o telefone celular”, disse o diretor.

Ele acrescentou: “Na pós-produção, trabalhamos um pouco a granulação da imagem e a saturação de cor. No mais, posso dizer que até mesmo para os atores amadores, que estranham um pouco a câmera, foi mais fácil, porque ele são totalmente familiarizados com o iPhone”.

“Tangerine” é uma comédia ambientada em Hollywood, durante o Natal, e protagonizada por dois travestis negros em busca de um bofe. Um enredo que pode chocar muita gente, menos o leitor que já sabe como o filme foi “rodado”. Afinal, o que mais poderia lhe surpreender?! #Entretenimento #Apple