A notícia de quem um livro vai virar filme é recebida, na maioria das vezes, com desconfiança pelos leitores. Afinal, são muitos os #Livros bons que já foram modificados para adquirir um ar mais comercial nas telas dos cinemas e o resultado não foi o esperado.

Adaptar um livro para o #Cinema não é uma tarefa fácil, principalmente se esse livro se tornou uma febre entre os leitores. Quem conhece a obra não perdoa as alterações que acabam acontecendo quando o livro se torna filme.

Perguntamos a alguns leitores quais as adaptações que deram certo e as que os decepcionaram. Confira.

Meu livro favorito virou filme e...

A leitora Gisa Lima, 27 anos, de Sete Lagoas, curtiu as adaptações de Divergente e A culpa é das Estrelas.

Publicidade
Publicidade

Algumas das adaptações que ela não gostou foram: Cinquenta Tons de Cinza. "A decepção da adaptação para o cinema começou a me desiludir pela escolha dos atores que deram vida aos personagens do livro, Anastasia Steele foi como Kristen Stewart em todos os filmes que já fez até hoje: morta. A amiga, Kate Kavanagh, era muito mais deslumbrante nos livros, e o Sr Grey então, nossa, foi a decepção mor. Além do roteiro ter sido extremamente fraco. Em A menina que roubava livros, eles transformaram uma história tão linda, tão singela em uma coisa estritamente comercial para arrebanhar alguns milhões de pessoas aos cinemas. A história da Liesel Meminger do livro e do judeu que a "família" abriga, bem como a relação dela com os livros e com a mulher que enfim, abriu este mundo pra ela após a perda da mãe verdadeira e do irmão (a mulher do prefeito), é muito mais singela do que o filme apresenta". 

Gorete Linhares, 42 anos, de Brasília, tem como adaptações favoritas O Menino do Pijama Listrado e Diário de uma Paixão.

Publicidade

Na lista de decepções ela apontou Cinquenta Tons de Cinza, O melhor de mim, Cidades de Papel e A Culpa é das Estrelas. "Este último pareceu mais um trailer de filme. Adorei o livro, mas o filme deixou muito a desejar."

A leitora Carol Mariotti, 24 anos, de Sorocaba, se emocionou muito com O Doador de Memórias. "Gostei mais do filme do que do livro". E Em Chamas, "pois é bem fiel ao livro e tem muita ação". Entre os que ela menos gostou estão: "Crepúsculo. Embora seja uma saga considerada pela maioria como fraca, eu gosto bastante do mundo que a autora criou, porém nos filmes achei que foi tudo muito mal feito. Os atores escolhidos não condiziam com os personagens do livro. A produção foi fraca e a história foi modificada. Em Um Porto Seguro, eles praticamente mudaram a história, além de alterarem características físicas dos personagens somente para agradar ao público. Isso afetou a história original que tem grande foco na mudança física da personagens que é fugitiva. Já em Insurgente, muitos elementos do livro foram modificados, ficou artificial, finalizaram o filme de um jeito que perde a conexão com o próximo livro".

Publicidade

Para Gaby Cunha, 27 anos, de São Paulo, as melhores adaptações foram O Hobbit, Entrevista com o Vampiro, todos do Harry Potter e Nosso Lar. As adaptações que ganharam cartão vermelho foram: Água para Elefantes, Cinquenta Tons de Cinza, Para Sempre e A Culpa é das Estrelas. "Neste último, muitas partes que considerei importantes no livro foram omitidas no filme. Por exemplo, quando Hazel vai visitar Isaac no hospital depois da cirurgia dos olhos. No filme isso não acontece. No livro, Hazel tem uma amiga que sabe tudo sobre seu romance com Gus, além de saber tudo sobre moda. Kaitlyn não existe no filme. O filme deixou de fora uma cena importante em que Hazel e sua mãe ouvem Gus chorando e gritando com sua mãe antes da viagem para Amsterdã. No livro, essa conversa anuncia o retorno do câncer de Gus".

Pra você quais adaptações deram certo e quais deixaram a desejar? #Entretenimento