A #Música oriunda das camadas mais populares da sociedade tem vários representantes em diversas cidades do Brasil. Assim como o Funk, em suas muitas versões, obtém bastante sucesso no eixo Rio-São Paulo, outros gêneros musicais de origem periférica também fazem sucesso em diferentes centros urbanos do país.  

Em Salvador, por exemplo, os ritmos mais ouvidos nas Periferias são o Arrocha e o Pagode Baiano. Dentre os principais nomes do Arrocha atualmente, pode se destacar os músicos: Tayrone Cigano, Silvanno Salles e Pablo. Este último, inclusive, já vem obtendo destaque nacional com o subgênero oriundo do Arrocha, batizado como “Sofrência”.

Publicidade
Publicidade

Já dentre os representantes do Pagode Baiano, são destaque do momento: O cantor Igor Kannário e os grupos Bailão do Robyssão e La Furia.

Em Belém, um “primo” do Funk é o Tecnobrega, gênero musical surgido na periferia da capital paraense e que revelou para o Brasil a cantora Gaby Amarantos. Uma das curiosidades sobre esse ritmo é que ele surgiu e se fortaleceu graças ao mercado pirata de CD’s no comércio informal belenense.

Outro gênero musical bastante popular, sobretudo, na região Nordeste é o Forró Eletrônico. Bandas como: Saia Rodada, Calcinha Preta e Aviões do Forró, dentre outras, fazem muito sucesso em Fortaleza, Natal, Recife e outras cidades nordestinas. Os grandes destaques deste ritmo atualmente são o cantor Wesley Safadão e a dupla Simone & Simaria, que fazem uma espécie de fusão entre o Forró Eletrônico e o Sertanejo Universitário, com uma pitada de “Sofrência”.

Publicidade

Leia também:

Ministério da Cultura defende Funk e gera debate em rede social