Em época de funk, hoje contaremos um pouco sobre uma banda de punk rock. Esse movimento musical que revolucionou o rock nacional em meados da década de oitenta, ainda conta com bandas que representam muito bem essa cena alternativa. Embora as bandas de punk tenham perdido muito espaço na mídia atualmente, ainda existem vários adeptos desse estilo musical que acompanham as bandas em várias regiões do país.

"Infelizmente a mídia têm muita influência na preferência musical das pessoas que ainda têm muita resistência em escutar coisas novas que não estão tão em evidência. As pessoas preferem ouvir bandas que tocam cover's do que as que tem algo novo a mostrar.

Publicidade
Publicidade

Embora  também interpretamos músicas de bandas que gostamos, preferimos mostrar as nossas próprias composições", afirma o vocalista China.

O movimento punk surgiu com força no Brasil na década de 80, e contou com bandas como: Cólera, Condutores de Cadáver, Olho Seco, Garotos Podres, Replicantes, Inocentes, Ratos de Porão, entre várias outras. Embora, no início, o movimento não era somente musical, nos dias de hoje é possível afirmar que, praticamente, foi isso o que restou. Aos que se interessarem pela história do punk no Brasil, recomenda-se assistir o documentário 'Botinada: a história do punk no Brasil'.

A banda Expulsos do Bar - ABC existe há 12 anos e a atual formação há aproximadamente três. Ela é formada pelo vocalista China, o baixista Ramon, o guitarrista Rodrigo Lesmoh e o baterista Roberto Pudim, sendo que somente os dois primeiros estão na banda desde o início.

Publicidade

A banda gravou o seu primeiro Ep no ano passado, contendo sete musicas próprias. 

As letras das músicas tem forte teor político e crítico, como, por exemplo, em "De volta a luta" e "Parem de fingir". Mas também há espaço para uma "brincadeira ébria", como em "Uma ideia na cabeça e um copo na mão", que apesar de soar engraçada, tem uma letra bastante interessante. A banda vem se apresentando em algumas casas de shows e bares na região do ABC e grande São Paulo, porém, não com muita frequência. Eles afirmam que não há muito espaço para o som alternativo, embora isso tenha melhorado nos últimos anos.

Os integrantes prometem um novo trabalho para o ano que vem. Eles estão trabalhando em algumas composições novas e afirmam que a banda cresceu bastante musicalmente no último ano. "Todos tem estudado bastante. Não é porquê somos uma banda punk que o som deve ser ruim. Estamos preparando algumas surpresas para o próximo CD", afirma o guitarrista Rodrigo Lesmoh. #Música #Tendências #Blasting News Brasil