Se comparado a 2014, o ano de 2015 está sendo bem menos rentável para as produtoras de shows brasileiras, e um dos grandes problemas tem sido o valor do dólar. A moeda americana é a moeda oficial da maioria - se não todos - os artistas internacionais que trazem suas turnês para o Brasil, e, devido a #Crise econômica, e a outros fatores influentes na indústria, os contratos têm sido cada vez mais difíceis de serem fechados.

É raro encontrar adolescentes, na faixa entre 15 e 16 anos, que se preocupem tanto com a disparada do dólar em relação ao real. Este cenário pode mudar rapidamente quando eles se derem conta que o dólar influencia na negociação entre produtoras e artistas, fazendo até mesmo com que diversas apresentações sejam canceladas e os contratos congelados.

Publicidade
Publicidade

Para o ano de 2016, diversas atrações como Nicki Minaj, AC/DC, Coldplay e até mesmo a "Rainha do Pop", Madonna - que recentemente estreou sua magnífica e polêmica turnê Rebel Heart - já estão previstas para trazerem seus shows para o Brasil. Porém, com o dólar cotado a quase R$ 4,00, e com previsão de valores ainda mais altos, estas e outras negociações podem esfriar e até mesmo serem deixadas de lado.

Para os fãs sortudos (ou nem tão sortudos assim), que conseguirem terem seus artistas favoritos mais perto, é bom ir preparando os bolsos. O custo elevado de alguns shows pode, e, com toda a certeza, deve ser repassado ao público, logo, o que se pode esperar são ingressos ainda mais caros do que os atuais, que já não são tão baratos assim.

Com ingressos mais caros, e com uma crise política e econômica avassaladora, o poder aquisitivo do brasileiro diminuiu.

Publicidade

As produtoras estão mais cautelosas na hora de fechar o contrato com o artista, e estão colocando na balança aquilo que é ou não lucrativo.

Se em 2015, com ingressos passando facilmente dos 500 reais, a maioria dos shows não esgotaram seus ingressos, em 2016, com ingressos possivelmente até 50% mais caros, o resultado deve ser ainda mais negativo.

É bom que os fãs dos grandes artistas internacionais se preocupem, e, se não quiserem ver shows sendo cancelados, é bom ir juntado as economias o quanto antes, pois a situação na indústria musical parece estar ficando feia. #Música #Blasting News Brasil