Acontece neste sábado, 19, o segundo dia de shows do Rock in Rio, que chega à sua sexta edição no Brasil.

Depois de uma estreia dedicada ao pop, realizada na noite de ontem, sexta-feira, 18, encerrada pela lendária banda inglesa Queen, com Adam Lambert nos vocais, hoje é o rock quem dá as cartas no Palco Mundo, o palco principal da “Cidade do Rock”, espaço que recebe o Festival no Rio de Janeiro desde a sua primeira edição, em 1985 (com a exceção de 1991, segunda edição do evento, realizada no estádio do Maracanã).

O time das principais atrações roqueiras que se apresentam hoje é formado pelas bandas: Gojira (que inicia os shows do Palco Mundo), Royal Blood, Mötley Crüe, e, a atração principal da noite, Metallica, que se apresenta pela terceira vez numa edição brasileira do Festival, aliás, desde que o RIR voltou a ser realizado no Rio de Janeiro, o famoso grupo norte-americano de Heavy Metal marca presença no evento (tocou em 2011 e 2013 e agora novamente em 2015).

Publicidade
Publicidade

Além das bandas citadas acima, haverá também outros grupos de rock que se apresentam no Palco Sunset. A atração principal será o Korn, que encerra os shows do dia neste palco alternativo. O sábado dedicado ao rock deve agradar bastante aos fãs brasileiros do gênero, que já há algum tempo criticam os realizadores do Festival pela “invasão pop” que se instalou nas últimas edições do evento.

Rock X Pop

Adriana Sanches tem 35 anos. Ela tinha 21, quando foi ao seu primeiro Rock in Rio, em 2001, terceira edição do Festival no Brasil. Para a empresária, as edições atuais perderam muito da essência roqueira das suas primeiras realizações.

“Não é mais o mesmo, isso é fato. Perdeu muito do rock, que era a razão para aquilo tudo está ali. Fui em 2001 e foi maravilhoso. Estava na noite em que teve Cássia Eller, Foo Fighters e R.E.M., me arrepio só de lembrar.

Publicidade

Também fui no último dia, que teve Silverchair e Red Hot Chili Peppers. Foi sensacional! Eu era jovem e senti uma coisa de libertação que é inenarrável. O rock passa essa vontade de se libertar. É transgressor, sabe? Não dá para sentir isso no show da Katy Parry, entende?”, questiona.

Stephanie Lara tem 19 anos. Ela vai ao seu primeiro Rock in Rio nesta edição de 2015. A garota está ansiosa para assistir ao show da cantora Katy Parry, da qual é muito fã. Para a estudante, o Festival é o maior evento de #Música do país.

“Qual outro evento no Brasil é capaz de ter shows de Katy Parry, Rihanna e Sam Smith? Só no Rock in Rio mesmo. É o maior evento de música que temos. Queria ter ido em 2011 e em 2013, mas minha mãe não deixou. Dessa vez vou realizar meu sonho de estar no Festival e, de quebra, ainda vou ver a Katy, que amo de paixão. Acho que o Festival tem que ser pop mesmo. O rock já saiu de moda, o pop não vai sair nunca”, provoca.

“Cada macaco no seu galho”

Como diz o famoso ditado popular: “Cada macaco no seu galho”.

Publicidade

Essa parece ser a solução encontrada pelos realizadores do Rock in Rio para acabarem com os já “tradicionais” conflitos entre os fãs de rock e pop durante o Festival. Nesta edição de 2015, não haverá “misturas”, e cada dia será bem estruturado para agradar a cada perfil de fã.

Nesta noite de sábado, por exemplo, somente haverá atrações de rock. O mesmo vai acontecer nos dias 24 (quinta-feira) e 25 (sexta-feira), ambos dedicados ao Rock and Roll, com atrações como: System of a Down, Queens of The Stone Age, Faith No More e Slipknot (todas já passaram por outras edições do evento no Brasil).

Já durante os dias 18 (sexta-feira, já realizado), 20 (domingo), 26 (sábado) e 27 (domingo), as atrações serão todas mais próximas do pop, com destaques para: Riahnna, Sam Smith, Rod Stewart, Elton John, A-Ha e Katy Parry (que encerra o Rock in Rio este ano), além dos brasileiros: Lulu Santos, Cidade Negra e Paralamas do Sucesso. #Entretenimento #Blasting News Brasil