Preocupadas na preservação de seus patrimônios históricos e arqueológicos, autoridades do Egito por meio do ministério de Antiguidades, anunciaram as TVs estatais do pais e a imprensa em geral, o fechamento do túmulo do seu faraó mais famoso, Tutankamon, para uma ampla restauração.

Tutankamon ou o “Faraó Menino” como é também conhecido, morreu com somente 19 anos em 1.324 a.C e era filho de um outro faraó famoso, Akhenaton. Há todo um misticismo e ambição, atribuídos ao faraó na medida em que, a sua tumba foi descoberta no interior de uma pirâmide localizada no hoje famoso Vale dos Reis, estando totalmente preservada – na ocasião, eram comuns os saques e destruições dos túmulos do Egito Antigo. 

O arqueólogo da Inglaterra, Howard Carter conseguiu encontrar a sepultura do faraó em 1922, repleta de tesouros, tais como: mais de cinco mil peças, joias, objetos de uso pessoal, adornos, vasos, armas e esculturas.

Publicidade
Publicidade

A múmia do faraó repousava no seu sarcófago também intacto dentro de sua tumba. O corpo tinha uma máscara mortuária de ouro compacto, pesando 11 quilos, revestida de pedras semi-preciosas e lápis-lázuli. O caixão ou sarcófago do faraó, também foi feito de ouro maciço. 

Conforme explicação de Mamduh al Damati, ministro das Antiguidades egípcio, o túmulo descoberto é "um dos monumentos arqueológicos principais do Egito”. A múmia real foi transferida para uma outra sala não tão importante, a fim de ser resguardada, disse Mohamed Afifi, alto funcionário do mesmo ministério. 

Não foi revelado o prazo para a restauração ser finalizada, mas será instalado um novo piso no túmulo. No começo deste ano, a imprensa do Egito criticou muito a restauração sem qualidade da máscara mortuária de Tutankamon que está no Museu do Cairo, pois havia restos de resina (notados a olho nu) que colava a barba simbólica do faraó, que se quebrou em um acidente. 

Há ainda muitos mistérios envolvendo o rei Tut (apelido do faraó), mas em 2005, a múmia foi retirada do seu sarcófago e passou por uma bateria de tomografias computadorizadas, produzindo 1700 imagens.

Publicidade

Constatou-se que o jovem era sadio e provavelmente morreu em decorrência do agravamento da fratura na perna direita enquanto caçava. 

Luxor é uma cidade de cerca de 500.000 habitantes, situada às margens do Nilo e é também museu arqueológico a céu aberto com muitos templos e túmulos muito antigos do Egito, como o do faraó em questão.  #Cinema #Turismo #Curiosidades