Nem tudo são flores na vida dos remanescentes da lendária banda de rock nacional Legião Urbana, que retomou as atividades em uma turnê comemorativa pelos 30 anos do lançamento de seu álbum homônimo de estreia. Felizes por um lado, devido a nova oportunidade de poder tocar para os fãs, preocupados por outro, já que um impasse pode impedir a banda de dar outro grande presente ao seu público.

O guitarrista Dado Villa-Lobos, em parceira com o baterista Marcelo Bonfá, ambos membros fundadores da Legião, preparam um Box especial de discos da banda. Neste Box, além de clássicos remasterizados do grupo, como: “Pais e Filhos”, “Eduardo e Mônica”, “O Teatro dos Vampiros”, “Monte Castelo” e “Daniel Na Cova dos Leões”, uma faixa rara intitulada “1977” também será incluída.

Publicidade
Publicidade

A canção, nunca antes gravada pela Legião Urbana, gerou outras duas canções que foram gravadas no segundo álbum do grupo, “Dois”, lançado em 1986. As faixas são “Tempo Perdido” e “Fábrica”, dois grandes sucessos de público e crítica na época.

O impasse

Segundo informações do próprio Dado Villa-Lobos, em entrevista concedida ao jornal Folha de S.Paulo, o Box corre risco de não ser lançado porque o filho de Renato Russo, Giuliano Manfredini, que administra a marca e a obra do pai por meio da empresa Legião Urbana Produções, reivindica os direitos autorais da faixa inédita “1977”.

Porém, Dado já comunicou que se recusa a entregar a autoria da canção. De acordo com o guitarrista, esta foi a segunda composição que ele fez em parceria com Renato e Bonfá. Em contrapartida, a Legião Urbana Produções comunicou em nota que a canção foi composta somente por Renato Russo, o que dá o direito à empresa de reivindicar autoria exclusiva.

Publicidade

#Famosos #Música #Blasting News Brasil