Dentre as inúmeras bandas de rock que se alastraram pelo Brasil durante a década de 80, sem dúvida alguma, a Legião Urbana foi uma das mais bem sucedidas. Porém, após a morte do vocalista e letrista Renato Russo, em 1996, vítima de Aids, os outros integrantes, Dado Villa-Lobos (Guitarrista) e Marcelo Bonfá (Baterista) decretaram o fim das atividades do grupo, deixando órfãos uma verdadeira “legião” de fãs.

Em 2015, se completam 30 anos do álbum homônimo de estreia da Legião Urbana. Naquela época, em 1985, o rock começava a estourar no Brasil, o que se consolidou após o sucesso do Rock in Rio, realizado em janeiro daquele ano.

Publicidade
Publicidade

Toda a atmosfera do período favoreceu o lançamento do primeiro disco da Legião, que trazia faixas que logo se tornaram hits, como: “Será”, “Ainda é Cedo” e “Geração Coca-Cola”.

Para comemorar esta importante data, os remanescentes da Legião Urbana, Dado e Bonfá, como são chamados pelos fãs, decidiram reativar a banda e montaram uma turnê nacional. O escolhido para assumir o posto do lendário Renato Russo foi o ator e músico André Frateschi.

A ligação de André com a banda começou quando este tinha apenas 10 anos. Filho da atriz Denise del Vecchio, em 1985 ele acompanhou a mãe em uma turnê da peça “Feliz Ano Velho”, de Marcelo Rubens Paiva, que era encenada junto com o show da Legião.

Legião Urbana 30 anos

O primeiro show da turnê de 30 anos do álbum “Legião Urbana” foi realizado na noite de ontem, 23, na cidade de Santos, litoral paulista.

Publicidade

A apresentação contou com a participação do músico, e também ator, Paulo Miklos, um dos integrantes do Titãs, e contemporâneo da Legião.

Durante o show, André Frateschi cantou clássicos do primeiro disco da banda, como: “Teorema”, “Soldados” e “O Reggae”, além de outros grandes hits do grupo: “Índios”, “Tempo Perdido”, “Que País é Este?” e “Faroeste Caboclo”, que recentemente ganhou uma versão nos cinemas.

Para o jornalista e crítico musical Rodrigo Leone, que estava no show da Legião ontem em Santos, o atual vocalista acertou em não tentar imitar Renato Russo.

“Gostei da apresentação do André Frateschi. Não foi nada de extraordinário, mas ele optou por um caminho válido ao tentar dar a sua própria interpretação às canções da banda. Tentar imitar o Renato Russo poderia beirar o patético e os fãs estavam ali para cantar as músicas que fizeram parte de suas vidas, e não para assistir uma encenação teatral. André foi bem sim, a sua maneira, é claro”, afirma Rodrigo.

Em 2012, a banda se reuniu pela primeira vez após a morte de Renato Russo para uma apresentação na MTV Brasil.

Publicidade

Naquela oportunidade, quem assumiu os vocais foi o ator Wagner Moura. Apesar de ter tido boa recepção de público, Moura não conseguiu agradar a crítica, que considerou a interpretação do ator bastante estereotipada.

“Acredito que desta vez a banda quer fazer diferente. Eu senti André livre na apresentação de ontem. Ele estava seguro no palco e contou com o apoio do Dado e do Bonfá. O público respondeu bem. Essa turnê tem tudo para dar certo. A Legião merece”, diz o jornalista.

Sequência da Turnê

Neste sábado, 24, a Legião Urbana se apresenta na cidade de São José dos Campos, interior paulista. No dia 7 de novembro, será a vez de São Paulo receber o show especial. Uma curiosidade desta turnê, é que a banda vai se apresentar em cidades que nunca antes havia tocado, como: Belém (PA), Itacaré (BA), Campo Grande (MS) e Pelotas (RS). #Famosos #Música #Blasting News Brasil