Neste fim de semana decorreu em Tóquio a 28ª Edição do Festival Internacional de #Cinema de Tóquio. A película do diretor carioca Roberto Beliner, “Nise - O Coração da Loucura”, ganhou a categoria de Melhor #Filme. E a protagonista do filme, Glória Pires, venceu na categoria de Melhor Atriz. Esta foi a estreia em prêmios internacionais de Nise, após receber no prêmio do público no Festival do Rio, no Rio de Janeiro.

Este filme é um drama que documenta a história de vida da psiquiatra Nise da Silveira (1905-1999). Ele se passa entre 1942 e 1944, no hospital Pedro II nos subúrbios do Rio de Janeiro, onde Nise chega para se ocupar da área de terapia ocupacional do centro psiquiátrico da unidade.

Publicidade
Publicidade

Aí se debate com a rejeição dos experimentais e recentes tratamentos nos pacientes com esquizofrenia. Revoluciona a psiquiatria dos anos 40 levando oficinas de arte (música, dança, pintura, teatro, jardinagem) aos seus “clientes” (forma como passou a lhes chamar), e que produz um efeito positivo neles.

Este filme foi o eleito entre os 16 filmes na competição no festival da capital do Japão. Bryan Singer, diretor de X-Men Apocalipse e presidente do juri, no seu passado conduziu um ônibus de alunos com autismo e este filme mexeu com ele e sua história. “Nise consegue criar convincentemente um mundo repleto de tristeza, humor e triunfo.”, afirmou, justificando a vitória.

O Prêmio Especial do Júri foi entregue a Kheiron, diretor do filme francês “All Three of Us”, que aborda no filme a migração do Oriente Médio para a Europa, com um ex-prisioneiro do Irã que vai viver para França. “Cold of Kalandar”, sobre uma família que vive isolada sem eletricidade e água nas montanhas, foi o filme de coprodução turca e húngara que deu ao cineasta Mustafa Cara o Prêmio de Melhor Diretor.

Publicidade

Já o prêmio de Melhor Ator foi dividido pelos atores Roland Moller e Louis Hofman do filme “Land of Mine”, um filme pós Segunda Guerra Mundial em que soldados alemães são enviados para retirar minas explosivas na Dinamarca. A Melhor Contribuição Artística foi para “Family Film”, de Olmo Omerzu, pela originalidade ao retratar um casal que larga seus filhos e sai de férias. Por fim, “God Willing”, filme sobre um médico cirurgião que leva uma reviravolta na vida, do italiano Edoardo Falcone, foi a Escolha do Público.

O Festival Internacional de Cinema de Tóquio é atualmente um dos mais importantes da Ásia. Esta foi a sua 28ª Edição, e além dos 16 filmes em competição, no total foram exibidos 207 filmes ao longo de 10 dias, com quase 64 mil espetadores. #Arte