A banda Jota Quest já está com duas décadas de estrada e mostra que ainda tem muito fôlego ao lançar seu novo álbum com ótimas canções. É o 8º disco da banda mineira que tem como vocalista Rogério Flausino, que está super empolgado com os novos desafios do grupo.

O Jota Quest começou em 1995, no bairro Belvedere, zona sul de Belo Horizonte, e sempre agradou ao público com suas músicas dançantes. Na última sexta-feira (20), eles começaram a divulgar o mais novo trabalho, e o primeiro single, "Blecaute", já está tocando nas rádios e também vem sendo procurado na internet. A #Música tem a participação da funkeira Anitta e do guitarrista Nile Rodgers, que já tocou com grandes astros internacionais.

Publicidade
Publicidade

A banda conta com seu próprio estúdio desde a gravação de "La Plata", que chegou ao mercado em 2008 e até hoje é muito lembrado pelos fãs. O estúdio fica próximo à residência dos integrantes e facilita o trabalho que é quase diário.

"Pancadélico" traz um pouco de black, um pouco de pop e muita música boa. O curioso é que este álbum é o primeiro depois de 5 anos sem gravação de músicas inéditas. Nos 15 anos da banda, ao invés de um trabalho inédito, os integrantes preferiram lançar uma coletânea.

O vocalista conta que a intenção era gravar "Pancadélico" logo no início do segundo semestre de 2015 e lançá-lo em 2016 logo no início do ano, mas já começa a ser trabalhado desde agora.

Este álbum não tem a menor intenção de mostrar o "novo", pelo contrário, traz a essência do Jota Quest e por isto é sucesso garantido.

Publicidade

A própria banda assume que este é um disco para divertir, dançar, sem novidades que poderiam não dar certo ou não agradar ao público.

O nome do álbum, "Pancadélico", é por causa de um grupo de funk, de George Clinton e, apesar desta influência, a música do grupo mineiro ainda continua regada com muito pop e dance.

Anitta ajudou a tornar o trabalho ainda mais dançante e "Blecaute" é mesmo uma música sacolejante, feita para o público se atirar mesmo. Ao mesmo tempo, o trabalho mostra a guitarra afiadíssima de Niles Rogders. Mesmo assim, não se nota uma mistura nas canções, mas uma evolução e, música após música, é possível acompanhar a variedade de tons, sem perder o estilo da banda.

E como o álbum tem seu ar de "Soul", não poderia faltar uma homenagem a Tim Maia, que é o mestre brasileiro no estilo e "Mares do Sul" prestigia uma das mais belas vozes que o Brasil já conheceu.

“Pancadélico” é mais que um novo trabalho do Jota Quest, é um álbum que mostra para o mercado como é fácil sobreviver no cenário musical, quando se tem talento e carisma.

#Famosos #Opinião