Uma boa atração para quem estiver neste final de semana em São Paulo é a Feira de Vinis, considerada a maior do gênero no Brasil. Com variada seleção de álbuns, alguns deles raríssimos, o evento, que é realizado bimestralmente desde 2011, conta com expositores de todo o país e é aberto gratuitamente para qualquer pessoa que queira comprar, trocar ou vender algum disco de vinil.

A Feira de Discos de São Paulo, como também é conhecida, será realizada neste domingo, 22 (das 11h às 20h), mas a movimentação na Rua Teodoro Sampaio, no bairro de Pinheiros (Zona Oeste), onde acontece a Feira, já é bem intensa desde a última sexta-feira, 20.

Publicidade
Publicidade

Muitos expositores já se concentram no local para arrumar seus estandes.

O baiano Rafael Sampaio, 35 anos, é um deles. Formado em economia pela Universidade Federal da Bahia, ele se diz apaixonado mesmo é por #Música, sobretudo, quando ouvida de um vinil.

“O som do vinil é único e inconfundível. Não sou nenhum nostálgico saudosista, e acho o avanço tecnológico válido. O CD e os formatos digitais estão aí e ampliaram as possibilidades de se ouvir música. No entanto, quem está acostumado a ouvir música oriunda dos famosos “bolachões”, ou LP’s, como também são chamados, sabe que a potencialidade sonora destes é impressionante. Há sons que você só consegue ouvir em um vinil, pois os outros formatos não conseguem captar. É mágico isso”, afirma Rafael.

Feira eclética                                                                       

O ecletismo já é uma marca registrada desta Feira de Vinis, desde a sua inauguração, há quatro anos.

Publicidade

Dando uma rápida volta pelo local, é possível encontrar álbuns de diversos estilos musicais, dividindo, inclusive, o mesmo espaço. Por conta disso, amantes do jazz, do blues, do rock, do samba, do pop, da MPB, da bossa nova, do sertanejo, da música eletrônica, do pagode, do funk, da axé music, da música latina e caribenha, e, até mesmo, da música clássica, se sentem bem a vontade nesta Feira.

“É um espaço democrático, onde você pode chegar, montar seu estande e vender seus discos. Quem não tem disco pra vender, vem pra comprar. E tem aqueles que não compram, e só admiram. Não tem problema. É um evento para amantes desta cultura maravilhosa que é o vinil. Esta é a segunda vez que estou participando. Da última vez, vendi um disco raro do Black Sabbath, que o cara que comprou disse que não encontrou nem mesmo na Inglaterra, terra dos caras. É impressionante”, vibra Rafael Sampaio.

Álbuns de grandes nomes da música nacional e internacional podem ser encontrados na Feira. Dentre os brasileiros, encontram-se raridades de músicos como: Caetano Veloso, Gilberto Gil, João Gilberto, Mutantes, Roberto Carlos, Chico Buarque, Jorge Ben, Ivan Lins, dentre muitos outros.

Publicidade

Já entre o “gringos”, há belos discos de: Björk, Elvis Presley, Frank Sinatra, Beatles, Queen, Led Zeppelin, Ray Charles, Steve Wonder, Bob Marley, e muito mais.

Baratos e “Caros”

Os valores dos vinis são bem variados. Um álbum não muito raro pode sair a um valor simbólico de R$ 5. Contudo, uma raridade como “Dark Side Of The Moon” (em uma versão prensada ainda nos 70), da lendária banda de rock progressivo britânica, Pink Floyd, está sendo vendida na Feira por R$ 500. “Este valor é ínfimo perto da paixão de um fã que sabe reconhecer a importância histórica e cultural desta raridade”, garante Rafael Sampaio, dono do referido disco.

Serviço

O que? Feira de Vinis

Quando? Dia 22/11

Onde? Rua Teodoro Sampaio, Pinheiros (São Paulo)

Que horas? Das 11h às 20h

Quanto? Livre                            #Entretenimento #Arte