Usando adjetivos de racista, desonestas e machistas, o publicitário Charles Saathi, dono de uma das maiores agências de anúncios do mundo, lança um livro com imagens, em dezembro. Com o nome de (Beyond Belief: Racist, Sexist, Rude, Crude and Dishonest: The Golden Age of Madison Avenue), o livro será lançado nesse mês e apresentam inúmeras imagens de propagandas antigas.

A obra trará uma série de imagens criadas e usadas como propagandas no século passado, e que, se amplamente divulgadas hoje em dia, causariam discussão e repúdio de muitas pessoas, podendo até se transformar em processos judiciais, por ofensa e desrespeito contidos nesses anúncios.

Publicidade
Publicidade

Certamente com o crescimento das redes sociais, essas imagens seriam comentadas por várias pessoas e causariam um grande debate na internet.

O inglês de 72 anos, além de ser dono da importante agência publicitária Saatchi & Saatchi, é também dono de obras de arte contemporâneas importantes. As propagandas não são as únicas que aparecem como sendo controverso, o publicitário tem uma vida nada convencional e cheia de escândalos. No ano de 2013, ele teve suas imagens expostas em vários locais de mídia, após ser fotografado sendo violento com a sua ex-esposa,  Nigella Lawson, conhecida por apresentar programas de culinária na TV americana. Saatchi aparece nas imagens tentando enforcá-la com as mãos, em uma tentativa de calá-la.

Os anúncios, que Saatchi descreve como "chocantes para o ponto de insensibilidade", incluem propagandas de cigarro incentivando as mulheres a fumar na frente de seus filhos, anúncios destinados a mulheres que atravessam a menopausa e anúncios de sabão que sugerem que a pele negra pode ser clareada por limpeza.

Publicidade

Saatchi acrescentou: "Embora muitos dos anúncios selecionados fossem alarmantes, apresentam um retrato importante da sociedade na década de 1940 e dos anos 50 e felizmente demonstra que o nosso mundo hoje está bem melhor”.

Confira na galeria algumas imagens da coleção dos anúncios mais ofensivas de meados do século 20. #Televisão #Livros #Curiosidades