No ano em que foi hostilizado por um pequeno grupo de jovens no bairro do Leblon, no Rio de Janeiro, devido à sua posição política, #Chico Buarque têm motivos de sobra para ostentar o sorriso que deu aos seus críticos na ocasião. Ele é o único escritor brasileiro que conseguiu figurar na seleta lista dos 20 livros de ficção mais vendidos de 2015.

O livro “O Irmão Alemão”, considerada uma obra semi-autobiográfica do músico que também emplacou como escritor, vendeu até o começo de dezembro 17 mil exemplares apenas no Brasil. Esses números colocam Chico Buarque na 18ª posição do ranking organizado pela Publishnews, que reúne as vendas de livros das 12 maiores livrarias brasileiras.

Publicidade
Publicidade

O primeiro livro mais vendido da lista é Grey, de EL James, com uma vendagem de 165 mil unidades. Outros brasileiros também se destacaram na #Literatura em 2015, mas em gêneros variados, como é o caso do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, Andressa Urach, Bela Gil, Kéfera e o médico Drauzio Varella.

Posição política

Chico Buarque nunca escondeu sua posição política e por isso acabou sendo levado a se envolver em algumas polêmicas, como o episódio registrado há poucos dias quando foi coagido por alguns jovens durante um passeio pelo Leblon, bairro nobre do Rio de Janeiro. Chico não fez nada de mais, apenas incomodou os jovens devido à sua posição política enquanto exerce sua cidadania não como o músico ou escritor, mas como o cidadão brasileiro Francisco Buarque de Holanda.

A alegação dos jovens que abordaram o músico e escritor é que teriam visto um vídeo em que divulga apoio ao PT (Partido dos Trabalhadores), sendo favorável à presidente Dilma Rousseff.

Publicidade

Eles afirmaram durante a discussão que não gostaram dessa posição de Chico Buarque, que também participou das eleições presidenciais de 2014.

Alguns dias após o episódio envolvendo o músico e os jovens, milhares de internautas saíram em sua defesa nas redes sociais convocando um ato a seu favor no Rio de Janeiro, que acabou reunindo várias pessoas em um bar no mesmo local onde foi hostilizado.

  #Comportamento