Desespero nunca mais! Dúvidas e mais dúvidas, foi essa a sensação até a publicação dessa matéria. Agora que o novo acordo ortográfico já está em vigor, não temos o que fazer, senão, criarmos certa afinidade com a grafia. Nada mais justo!

O Acordo foi definido para unificar e fortalecer o idioma entre Brasil, Portugal e alguns países africanos como Angola e Moçambique. A linguagem será aprimorada através de explicações detalhadas e exemplificadas, pois determinadas regras ortográficas tendem a ser incorporadas pelo cérebro a partir da perseverança. Está preparado?

Entender a nova ortografia

A questão é meio contundente, não com relação à nova grafia, mas à forma como ela será apresentada e como será cobrada.

Publicidade
Publicidade

Suponhamos que, num edital publicado no final do ano de 2015, quando ainda não estava em vigor o novo acordo ortográfico. Então, o candidato não tem o compromisso em exercê-lo, exceto se constar no certame a obrigatoriedade do mesmo. Vale ressaltar que nada impede esse candidato de realizar a prova no ano vigente com a nova grafia, desde que não haja alternância das duas formas ortográficas.

Como estudar

Embora digamos que será fácil, mas a realidade nos motiva para algo diferente; aqueles que já foram alfabetizados no passado devem desconstruir a memória fotográfica daquela época, abandonando antigos hábitos. Diferente dos alfabetizados a partir desse ano de 2016, que naturalmente, serão instruídos com a nova forma da grafia. Na verdade, a memória fotográfica será da ortografia atual, minimizando suas dificuldades.

Publicidade

Um pouco complexo, mas com a prática adquirimos a perfeição.

Confira algumas regras iniciais para grafia atual

As letras K, W e Y serão parte integrante do alfabeto, sendo utilizadas em unidades de medida, nomes próprios, palavras estrangeiras e outras palavras de modo geral. Exemplo: km, kg, watt, playground, William;

O trema foi agora excluído da Língua Portuguesa, exceto para nomes estrangeiros. Exemplo: cinquenta, frequência, tranquilo;

Palavras paroxítonas, com ditongo aberto “ei” e “oi”, não serão mais acentuados. Exemplo: boleia, Coreia, boia, paranoia, jiboia;

As letras “i” e “u” tônicas, não serão mais acentuadas com a formação de hiatos após o ditongo. Exemplo: baiuca, boiuna, feiura.

Caso especial: O acento continua quando a palavra for oxítona e as letras “i” ou “u”, estiverem na última sílaba. Exemplo: Tuiuiú, Piauí.

Os hiatos “oo” e “ee”, não necessitam mais de acentos. Exemplo: voo, perdoo, abençoo, povoo, creem, deem;

Agora as palavras homônimas não possuem mais acentos para seus diferentes som e sentido. Exemplo: para, pela, pelo, pera, polo.

Caso Especial: Permanece no verbo pôde, quando usado no passado e no verbo pôr, para diferenciar da preposição por;

Caso Especial: Acento circunflexo será facultativo para a palavra forma ou fôrma.

  #Educação #Comunicação #Dicas