A edição de 2015 da Feira do Livro de Frankfurt surgiu com uma novidade para difundir ainda com mais acuidade o potencial do mercado editorial de alguns países. No ano passado, Alemanha, China, Coreia do Sul, Estados Unidos, Indonésia, México e Turquia foram as nações selecionadas para o evento "The Markets". Trata-se de um seminário com o principal intuito de vasculhar a fundo o verdadeiro potencial literário de cada país, assim como a produção editorial pode evoluir em um futuro de médio a longo prazo.

Já para a Feira do Livro de Frankfurt deste ano, o Brasil estará entre os países selecionados, ao lado de Emirados Árabes Unidos, Espanha, Filipinas, Holanda, Flandres (região ao norte da Bélgica onde se fala holandês), Polônia e Grã-Bretanha.

Publicidade
Publicidade

O seminário "The Markets" abre a feira, cuja visitação ultrapassa a marca de 300 mil pessoas, além dos milhares de profissionais envolvidos na área. A cada ano, esse número aumenta, ainda mais com a mídia digital se desenvolvendo com enorme desenvoltura. Em 1994, o Brasil foi o escolhido para difundir sua obra literária.

A Feira de Frankfurt não apenas se concentra no conteúdo impresso com #Livros e revistas, mas segue de perto as tendências do mercado como um todo. Ao abordar o crescimento de novas plataformas digitais para a difusão e intercâmbio entre as culturas de diferentes países, o evento é o mais aguardado da temporada por profissionais do ramo e o público que se interessa por #Literatura e outras fontes de artes. O evento sempre abre espaço para que outras formas de expressão cultural possam se manifestar livremente, o que torna o ambiente ainda mais agradável.

Publicidade

Homenageados de 2016

A Holanda e Flandres serão os homenageados deste ano, assim como ocorreu em 1993. Convidar um país ou mais é uma tradição antiga da Feira. A intenção dos organizadores é "causar ainda mais barulho neste ano", ou seja, a exposição das obras holandesas não ficará restrita apenas ao pavilhão de Frankfurt. Outras sete cidades - Colônia, Münster, Karlsruhe, Munique, Hamburgo, Leipzig e Berlim - participarão da homenagem.

“Eu comecei a pensar nesse projeto no ano passado. No começo, eu queria evitar ressaltar as nossas diferenças. Desde o começo, procurei focar no que nos conecta, em o que nós compartilhamos. Nós compartilhamos a história, a literatura e a cultura”, comentou Bart Moeyaert, diretor artístico dos convidados de honra, na coletiva de imprensa para apresentação do projeto. "Nós realmente queremos convidar editores, escritores, agentes e jornalistas a virem até o nosso pavilhão para terminarem o dia com uma cerveja gelada”, encerrou.

Além da "festa" programada para difundir a cultura das duas regiões, 250 titulos da Holanda e Flandres vão receber novas traduções para atrair o público.

Publicidade

"São livros em diversos gêneros - romances, infantis, para jovens adultos e de não ficção – que já estão sendo preparados para serem publicados”, garantiu Bas Pauw, coordenador do projeto da Feira de Frankfurt. "Queremos apresentar a nova geração de autores que falam o holandês para a nova geração de editores e de leitores da Alemanha”, encerrou o produtor cultural. #Entretenimento