O #Filme “O Regresso” estreia nesta quinta-feira, dia 4 de fevereiro, nas principais salas de #Cinema do Brasil. O longa-metragem é dirigido pelo cineasta mexicano Alejandro G. Iñárritu, que em 2015 se consagrou em Hollywood ao arrebatar as estatuetas de ‘melhor diretor’ e ‘melhor filme’ por “Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)”.

Iñárritu pode repetir o invejável feito em 2016, já que seu mais novo trabalho foi o que mais recebeu indicações (12) para a próxima edição do Oscar, que acontece no último domingo de fevereiro, dia 28, em Los Angeles.

Contudo, a maior expectativa dos amantes da sétima arte gira em torno da grande possibilidade de Leonardo DiCaprio, protagonista de “O Regresso”, levar o primeiro Oscar da carreira.

Publicidade
Publicidade

Esta é a quinta indicação do ator, que não ficou com a estatueta nas últimas quatro oportunidades (a primeira foi em 1993, aos 19 anos, quando concorreu como ‘melhor ator coadjuvante’ por sua brilhante interpretação de um adolescente com problemas mentais no filme “Gilbert Grape – Aprendiz de Sonhador”).

O ano de Leo

E 2016 deve mesmo ser o ano em que, enfim, Leonardo DiCaprio verá chegar ao fim a luta, de mais de 20 anos, em busca do primeiro Oscar. Injustiçado, sobretudo, quando concorreu por suas atuações em “O Lobo de Wall Street” e “Gilbert Grape”, desta vez, parece que a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood está disposta a reconhecer o talento deste grande ator, hoje com 41 anos.

E o provável Oscar do “eterno” Jack de “Titanic” não deve ser dado apenas por uma questão de reconhecimento por parte de quem sempre fez “vistas grossas” para ele.

Publicidade

A atuação de Leonardo DiCaprio em “O Regresso” é, no mínimo, impactante, o que já o credita a receber tal premiação.

As cenas fortes e violentas do longa de Iñárritu exigiram de DiCaprio um poder de concentração e superação que vai muito além de uma ótima interpretação para cinema. É como se o ator esquecesse que é um ator, justamente por conseguir, em meio aos desafios das cenas que lhe são impostas, encarnar, de fato, o homem, que tenta sobreviver em uma floresta após ser atacado por uma ursa feroz.

É como se Leonardo DiCaprio estivesse sendo testado, em uma espécie de “prova de resistência” em um “reality show cinematográfico”, para conseguir convencer a Academia que merece, e sempre mereceu, uma estatueta do Oscar.

Seja por mérito ou por “meia culpa”, a verdade é que 2016 deve mesmo ser o ano deste brilhante ator. Mas se bem que Eddie Redmayne arrebentou em “Garota Dinamarquesa”, em? ai ai ai...

#Entretenimento