O longa metragem que retrata a vida da cantara e pianista de jazz e soul Nina Simone sequer estreou e já está rendendo comentários desagradáveis por conta da escalação da atriz Zoe Saldana. O principal problema para que Saldana viva a lendária artista nos cinemas é em relação ao tom de sua pele, que não seria negro o suficiente para ficar parecido com o de Simone. A produção chega aos cinemas ainda nesta temporada.

Apesar de Zoe Saldana ser afro-americana, com parentes oriundos da República Dominica e de Porto Rico, ela precisou utilizar uma maquiagem específica para ficar mais semelhante com a cantora e encarar o desafio do filme intitulado de "Nina".

Publicidade
Publicidade

Além de ter ficado com a pela mais escurecida, ela teve de utilizar uma prótese no nariz. Com a recente divulgação do trailer da obra, concluída neste ano, muitos fãs se manisfestaram sobre uma possível escalação inadequada da protagonista. Imediatamente, o estúdio responsável pela longa respondeu aos fãs.

Robert L. Johnson, presidente do conselho da RLJ Entertainment, veio a público para defender a opção de apostar em Saldana. "A coisa mais importante é que a criatividade ou qualidade da performance nunca deve ser julgada em termos de cor, etnia, ou aparência física", afirmou o produtor, em nota emitida após as controvérsias. Johnson também tem voz ativa para opinar sobre a polêmica, pois fundou a Black Entertainment Television (BET).

Depois da confirmação de Saldana no papel de Nina Simone, manifestações contra uma possível prática de racismo passaram a circular nas mídias sociais.

Publicidade

No Twitter, a atriz da nova série de "Star Trek", "Colombiana" e "Avatar" procurou se defender, reafirmando suas origens. "Vou dizer o que é liberdade para mim - nenhum medo. Realmente, nenhum medo", disparou a artista de 37 anos. A diretora Cynthia Mort, que faz sua estreia nos cinemas, procurou tirar o foco sobre Saldana, com o intuito de que o filme seja julgado pelo seu conteúdo e não por uma polêmica deste nível.

Nina Simone - A voz do jazz e do soul

Nina Simone, cujo nome de batismo é Eunice Kathleen Waymon, nasceu a 21 de fevereiro de 1933, na Carolina do Norte, nos Estados Unidos. Cantora, pianista e compositora clássica de jazz e soul, ela faleceu aos 70 anos, em 2003, quando já morava em Paris, em decorrência de complicações causadas por um câncer de mama. Com um talento fora do comum, Nina Simone conseguiu ingressar na tradicional e exigente Escola de #Música de Juilliard, em Nova York, contribuindo muito para que os negros ganhassem mais espaço nos EUA. A cantora contabilizou muitas polêmicas em sua vida pessoal, mas seu brilhantismo jamais deixou de ser ofuscado. No Brasil, ela se apresentou por duas vezes, uma delas com Maria Bethânia. #Entretenimento #Cinema