Quando você acredita que o mundo não pode melhorar, a #Internet nos surpreende ao mostrar iniciativas como a Rádio Yandê, a primeira webrádio indígena do Brasil.

O projeto de criação surgiu da união de três amigos, que já eram ativistas em prol da valorização da cultura indígena. Então Anápuáka Tupinambá, Renata Tupinambá e Denilson Baniwa arregaçaram as mangas e colocaram online um produto que encanta, não só pela qualidade das escolhas musicais divulgadas, mas também pela pluralidade do canal.

Programação da Rádio Yandê

A programação conta com músicas indígenas tribais, mas não exclui outros estilos, como reggae, rap, forró, pop, e muito mais! Não bastasse uma imersão na produção musical dos povos nativos – e só isso já valeria a pena – a Yandê ainda tem programas informativos e educativos, que visam mostrar a realidade do povo indígena e desfazer estereótipos criados há séculos.

Publicidade
Publicidade

Permanecendo 24 horas no ar, a webrádio é sediada no Rio de Janeiro, mas traz conteúdo produzido por colunistas de todo país, levando a realidade dos povos indígenas para os quatro cantos do Brasil.

E como se tudo isso não bastasse, a Rádio Yandê ainda faz um intercâmbio entre as culturas indígenas de toda América Latina, trazendo programas, conteúdos e artistas do Chile, Bolívia, Argentina, Venezuela, entre outros países que tem um ponto em comum: foram invadidos, mutilados e saqueados por povos europeus no passado.

Conscientização e defesa da cultura indígena

Não há dúvidas de que o maior legado da Rádio Yandê é garantir voz à população indígena. Além disso, o canal também aproxima os povos indígenas e não indígenas, um passo necessário para que nos conscientizemos sobre a importância desses povos na cultura e formação do Brasil.

Publicidade

Praticamente ausentes em representações midiáticas, os povos indígenas permanecem esquecidos ou são representados de forma caricata, dando margem à manutenção do preconceito e violência.

Ainda hoje, mesmo com a aclamação popular pela inserção de personagens fortes do sexo feminino, negros, homossexuais, trans e deficientes em peças publicitárias, programas, novelas, series, filmes e na mídia em geral, não vemos indígenas aparecendo na TV – a não ser quando tentam reivindicar seus direitos, aí eles são mostrados com seus arcos e flechas nos noticiários, e neste caso, quase sempre são retratados como “selvagens”.

Ao colocar os indígenas sob os holofotes, a Rádio Yandê garante visibilidade, mostrando as lutas de um povo forte que, se por um lado permanece carente de políticas públicas que lhes garantam dignidade e respeito, por outro, não se escondem, e tem orgulho de carregar, no corpo e no espírito, o sangue indígena. #História #Blasting News Brasil