Em tempos onde a cultura de consumo contamina as manifestações populares, podemos ainda encontrar a pureza de um grupo genuinamente pernambucano, criador de uma metodologia de dança, recriador de danças esquecidas e valorizador da cultura nordestina.

Em 20 de maio de 1977, nasceu o Balé Popular do Recife (BPR), grupo responsável por recriar autos e folguedos populares de Pernambuco. Já em sua primeira aparição, o Balé Popular do Recife ganhou fama e, na década de 1980, iniciou uma turnê pelos palcos do Brasil e do mundo levando o espetáculo Prosopopeia – um auto de guerreiro, show que conta a história dos autos e folguedos populares.

Publicidade
Publicidade

Além de recriar danças que estavam extintas, o BPR misturou passos e ritmos, criando assim a dança Brasílica, uma dança com linguagem própria e passos diferenciados.

“Brasílica era o nome dado às guerras de expulsão aos estrangeiros, então como André Madureira (criador) queria uma #Arte verdadeiramente pernambucana, ele adotou esse nome para escola de dança”, explica o professor Marconi Silva um dos responsáveis por aplicar a metodologia.

Trajetória marcada por altos e baixos a companhia já passou três meses apresentando um único espetáculo pela Europa, mas também conheceu o desespero e angústia, em 2009, um incêndio resultou na perca de centenas de figurinos e das pesquisas feitas pelo Balé. Mas, depois das tempestades, o BPR se reergueu e voltou com um novo espetáculo As andanças do divino, que conta a saga do cristianismo através das danças e folguedos populares.

Publicidade

Preparação para os 40 anos

Na caminhada para o quadragésimo aniversário da associação, o Balé Popular do Recife está criando um novo espetáculo. A instituição abriu inscrições para quem desejar fazer parte do elenco, os inscritos começam como alunos e devem passar um ano em aprendizado até que se tornem conhecedores da metodologia Brasílica.

“A dança Brasílica tem toda uma preparação até chegar ao banco de passos, temos o alongamento, o alonga a mente, a caminhada e o ofertório. Nós pedimos que os alunos passem pelo menos um ano em aprendizado, para realmente entenderem o vocabulário Brasílico, pois até a linguagem na dança Brasílica é diferenciada.” Completa Angélica de Madureira, diretora artística do BPR.

Aqueles que se destacam, estagiam nos grupos mantidos pela associação: o Forrobodó, ciclo carnavalesco, junino e natalino, ou no Balé Brasílico, que realiza espetáculos inspirados nas origens étnicas.

Os interessados devem se direcionar a sede localizada na Rua do Sossego, n° 52, bairro de Santo Amaro, pagar a mensalidade de R$150,00 ou ligar no (81)3266-8392 para mais informações.

A instituição não recebe ajuda de nenhum órgão, sobrevive das apresentações. Para contratar os espetáculos do Balé Popular do Recife interessados devem entrar em contato pelo e-mail: bale.popular@hotmail.com ou pelo telefone: (81) 3266-8392.