Cauby Peixoto morreu no final da noite deste domingo (15) e a notícia foi confirmada pela assessoria do cantor já durante a madrugada desta segunda-feira. Cauby estava internado no hospital Sancta Maggiore e deixa uma legião de fãs. A causa da morte do cantor foi devido a um quadro de pneumonia.  Ele vinha se apresentando por várias cidades do Brasil juntamente com Ângela Maria, apresentando o espetáculo "120 anos de #Música", onde eram apresentadas músicas do disco "Reencontro", além de várias outras canções.

No ano passado, Cauby Peixoto teve uma gripe muito forte e precisou cancelar diversos shows. Este ano, no mês de março, novamente ele teve a saúde comprometida e mais uma vez suas apresentações tiveram que ser canceladas, inclusive ele chegou a ser internado no hospital Santa Isabel em São Paulo.

Publicidade
Publicidade

Um dos maiores cantores de todos os tempos nasceu no dia 10 de fevereiro de 1931, em Niterói, Rio de Janeiro e seu pai era um famoso violinista. Seu tio, Romualdo Peixoto, foi responsável por tornar o samba no piano mais popular. Sua carreira teve início no final da década de 40, quando ainda trabalhava no comércio, mas começou a ir em alguns programas de calouros nas rádios e o sucesso foi imediato.

Seu timbre mais grave e aveludado chamava a atenção e seu primeiro álbum foi gravado em 1951, o "Saia Branca". Só depois de 5 anos é que ele gravou novamente e aí foram três LPs e foi quando gravou "Conceição", uma de suas mais famosas músicas, mas outras canções logo conquistaram o país, entre elas: A pérola e o rubi, Blue Gardênia, Lábios que eu beijei, Tarde fria, A noiva molambo, entre outras.

Publicidade

Uma curiosidade que poucas pessoas sabem é que Cauby Peixoto foi o primeiro cantor brasileiro que gravou um rock em português, abrindo as portas para muitos outros cantores que aderiram ao estilo logo depois.

O sucesso de Cauby chegou a outros países e ele começou a ser chamado de "Elvis Presley brasileira" sendo destaque até mesmo na revista "Time" e chegou a gravar um disco em inglês, porém usou o nome "Ron Coby".

Ângela Maria foi não apenas sua parceira profissional, mas também uma grande amiga e gravaram três discos juntos. Seu último trabalho foi uma homenagem aos seus 80 anos de vida e também pelas 6 décadas de carreira.

Nesta segunda-feira (16) os fãs se despedem deste cantor tão importante para a história da música no Brasil.

#Famosos