Para a revista Time, ele foi "uma evolução histórica no progresso da #Música". Para a New Statesman, ele elevou o rock ao patamar de #Arte. De acordo com a Rolling Stone, ele é o primeiro colocado na lista de melhores álbuns de todos os tempos. Muito pode ser dito sobre Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, mas é certo que o oitavo álbum de estúdio dos Beatles vai sempre figurar nas mais altas posições quando se trata dos discos mais influentes da música pop e do rock and roll.

Lançado há exatos 49 anos, em 1º de junho de 1967, o álbum marcou o ápice criativo da banda mais popular do planeta. Criada por Paul McCartney, o conceito de uma banda paralela chamada Sgt.

Publicidade
Publicidade

Pepper’s Lonely Hearts Club inspirou a faixa título e o conceito inteiro do álbum, que mistura uma realidade alternativa com experimentações musicais diferente de tudo que se havia feito na música pop até então.

Aliados ao conhecimento técnico do lendário produtor George Martin, os Beatles utilizaram o álbum para transgredir a ideia de rock and roll que havia no período, transformando Sgt. Peppers em referência de trabalhos experimentais e artísticos e consolidando o trabalho como a quintessência de sua meteórica e adorada carreira.

 

A icônica capa

Além das icônicas faixas como “Lucy in The Sky With Diamonds”, “When I’m Sixty-Four” e “A Day In The Life”, o disco ganhou a atenção do público e da crítica por outro fator peculiar e muito original. Formada a partir de uma colagem com diversos personagens, a capa se tornou uma das mais famosas de todos os tempos, sendo parodiada e relembrada frequentemente desde então.

Publicidade

Criada pelo casal de artistas Peter Blake e Jann Haworth, a capa do álbum traz, além dos quatro integrantes da banda, diversas figuras históricas como Edgar Allan Poe, Fred Astaire, Bob Dylan, Dylan Thomas, Marilyn Monroe, Lewis Carroll, Oscar Wilde, Marlon Brando e muitos outros.

 

Lançamento e repercussão

Apesar de ser o oitavo álbum de estúdio da carreira dos Fab4, Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band foi o primeiro a ser lançando de forma simultânea em todo o mundo e com a mesma idêntica lista de música no Reino Unido e nos Estados Unidos.

Vendendo mais de 250 mil cópias apenas em sua primeira semana, o disco ficou em primeiro lugar na lista de discos mais vendidos do Reino Unido durante 22 semanas consecutivas. Já nos Estados Unidos, Sgt. Pepper’s figurou como o disco mais vendido da lista da Billboard durante 15 semanas consecutivas.

Lançado em um período de grande efervescência cultural mundial, entre as revoluções sociais de jovens na França e no chamado “verão do amor” nos EUA e na Inglaterra, o disco foi amplamente aclamado pela crítica e se tornou um enorme sucesso entre os jovens do período, ficando marcado definitivamente como o disco chave da marcante década de 60.

Publicidade

Durante o Grammy seguinte, festejado no ano seguinte, o álbum venceu quatro prêmios, sendo o primeiro disco de rock a vencer o prêmio de “Álbum do Ano”.

Para o escritor britânico Kenneth Tynan, Sgt. Peppers foi "um momento decisivo na #História da civilização ocidental". Quase cinco décadas depois, em 2016, é possível perceber que o clássico álbum ainda mantém uma enorme influencia no que tange à cultura pop e ao sentimento musical. Se apenas dois dos Beatles ainda vivem, e se a música pop atual parece atravessar mais um momento de renovação com novas plataformas, estilos e artistas do séc. XXI, é inegável que o trabalho consolidado em Sgt. Peppers persistirá ao longo das décadas, como aconteceu até agora.

Além de mais um disco na brilhante carreira dos quatro garotos de Liverpool, Sgt. Peppers representa a época em que a inovação artística e o sonho da juventude foram um só. Um período conturbado e celebrado que ainda deixa marcas na atual geração. Se nenhuma grande mudança ocorrer e impulsionar novos clássicos modernos, é bem provável que o lendário álbum mantenha o seu posto de disco mais influente da música pop pelos próximos 50 anos.