Uma das editoras de histórias em quadrinho mais populares de todos os tempos, DC Comics, iniciou, em 25 de maio de 2016, uma nova etapa editorial que recebeu o título “DC Rebirth”. A finalidade deste relançamento seria reatar os laços da editora com suas origens, que focava em amor, legado dos heróis e otimismo. Para este momento especial, a DC lançou uma edição especial lançada no dia supracitado, roteirizada por Geoff Johns, chamada “DC Universe: Rebirth Special #1”, sendo o marco inicial para tudo que ainda virá.

Entretanto, ainda que seja o ponta pé inicial para uma nova fase no mundo dos quadrinhos, alguns pontos devem ser esclarecidos.

Publicidade
Publicidade

O DC Rebirth será o começo ideal para novos leitores, entretanto, respeitará o seguimento dos heróis desde o remake feito em “Flashpoint”, pontuando que dez anos de trama foram furtados dos personagens.

Uma arte conceitual trouxe o visual repaginado do mais icônico vilão do Batman, a nova cara do Coringa será vista nas edições do Rebirth. O artista Rafael Albuquerque compartilhou o artwork em sua conta pessoal do Instagram (pode ser vista na galeria de imagens).

A nova aparência do vilão embaralhou a versão de Frank Miller (Cavaleiro das Trevas), com um toque de influência do Coringa que irá aparecer em “Esquadrão Suicida”, nos cinemas este ano, interpretado por Jared Leto. A arte está sendo trabalhada para ser uma capa variante de Batman #1, que será roteirizada por Tom King e ilustrada por David Finch e Mikel Janin.

Publicidade

Para clarear a mente de quem ainda não entendeu a situação, vamos usar o exemplo do Coringa. Se houve um ponta pé inicial, porém outros HQ’s antigos terão continuidade, existirão três Coringas?

Na trama “Guerra de Darkseid”, Batman adotou o cargo de Metron na Poltrona Mobius e conseguiu receber conhecimento ilimitado. Em um breve instante, o morcego de Gotham questiona qual a identidade verdadeira do Coringa.

Agora, devido à edição especial do Rebirth, pode-se entender a resposta da Poltrona: é impraticável afirmar, em vista de que não existe apenas um Coringa, e sim três. No quadrinho é possível ver quais seriam as três versões que indicariam os vilões distintos, porém de mesmo nome e traje. Existe o original, o famoso Coringa da Piada Mortal e das edições dos Novos 52. Todavia, os fãs ainda não terão informações profundas além deste gancho, a questão foi deixada em aberto, provavelmente para que seja melhor trabalhada e explorada futuramente. E ao que tudo indica, na revista solo do Batman. #Cinema #Curiosidades #Filme