Moda em 2011, os adesivos ‘família feliz' ganharam os automóveis de várias cidades do Brasil e estampavam pais, mães, crianças, avós e até mesmo os animais de estimação que faziam parte de cada família. A ‘família feliz’ saiu do comercial de margarina da televisão para estampar como troféu os automóveis das grandes cidades – pais e mães sempre unidos e sorridentes, heterossexuais, acompanhados com sua prole risonha.

Entretanto, segundo o último Censo do IBGE, a família tradicional representa 49,9% da população e já não é maioria no Brasil, mas as traseiras dos carros pareciam indicar exatamente a direção contrária. Se a prática mudou, não é só a legislação que tem que ser chacoalhada, mas principalmente o universo de valores e símbolos. 

A diversidade sexual, a igualdade de gêneros e a pluralidade afetiva não representam ameaça à família, mas integram-se como novas possibilidades.

Publicidade
Publicidade

E é com esse mote que o grupo paulista Poleiro do Bando realiza de 1º de julho a 7 de agosto, no #Teatro Alfredo Mesquita, a ‘OCUPAÇÃO POLEIRO DO BANDO’, com a apresentação de três espetáculos do repertório que refletem sobre o respeito à diversidade de gênero e a instituição família.

O trabalho tem início no dia 1º de julho, sexta-feira, às 21h, com a reestreia do espetáculo ‘Tão Pesado Quanto o Céu’ (até 17 de julho, sextas-feiras e sábados às 21h, e domingos às 19h). Já a montagem de ‘Playground’ cumpre temporada de 22 de julho a 7 de agosto (sextas-feiras e sábados às 21h, e domingos às 19h), e o infantil ‘Família Formigueiro Casa Condomínio’ sobe ao palco aos sábados e domingos, às 16h, de 2 de julho a 7 de agosto. Todos os espetáculos têm ingressos gratuitos, que devem ser retirados na bilheteria do teatro uma hora antes de cada apresentação.

Publicidade

Além dos espetáculos, o grupo promove, após as apresentações e junto a convidados, bate-papos acerca de gênero e sexualidade. No dia 15 de julho, sexta-feira, às 21h, acontece o debate ‘Pluralidade’ à margem sobre as condições de ser mulher - em suas pluralidades - nas periferias da cidade de São Paulo e às margens de uma sociedade que não as reconhece. Com o tema Entre o corpo, a cultura e a identidade, o segundo debate acontece dia 5 de agosto, sexta-feira, às 21h, e abordará o "subjulgamento" cultural dos gêneros, desejos e identidades ao biologismo do sexo.

SERVIÇO:

TEATRO ALFREDO MESQUITA – Avenida Santos Dumont nº 1770 – Santana.

Telefone – (11) 2221-3657.

Capacidade – 198 lugares. Estacionamento no local.

Bilheteria abre uma hora antes de cada apresentação. #Entretenimento