Vinte e cinco anos após o lançamento de seu único disco, o Temple Of The Dog, banda que reuniu o vocalista Chris Cornell e o baterista Matt Cameron, do Soundgarden, os guitarristas Stone Gossard e Mike McCready, além do baixista Jeff Ament, do Pearl Jam, volta à cena para uma curta turnê norte-americana. Por enquanto, cinco datas foram confirmadas, todas em novembro, mas a expectativa é para o anúncio, em breve, de novas apresentações e, talvez, de uma volta ao mundo, em 2017. Tanto o Pearl Jam quanto o Soundgarden não têm turnês confirmadas para o ano que vem e, até os rumores de uma rodada dupla com a turma de Eddie Vedder com o Foo Fighters esfriaram, neste mês.

Publicidade
Publicidade

Some a isso o fato de o único disco do supergrupo, o homônimo “Temple Of The Dog”, ganhar uma edição Super Deluxe com dois CDs e dois DVDs, em setembro, e temos terreno fértil para a colheita de milhões de dólares.

O supergrupo nasceu de uma homenagem de Cornell para seu ex-companheiro de quarto e figura central da cena “grunge” de Seattle, Andrew Wood, morto de overdose aos 24 anos, em 1990. Wood foi uma espécie de catalizador do estilo musical que ganhou o mundo, naquela década, vocalista da lendária Mother Love Bone, banda embrionária que reuniu Stone Gossart e Jeff Ament – do Pearl Jam – pela primeira vez.

No início, pensamos apenas em uma reunião. Eu compus algumas canções e queria gravá-las com os outros músicos do Mother Love Bone, como uma homenagem para Wood”, conta Cornell.

Publicidade

Ele trouxe Matt Cameron e Mike McCready, que é amigo de infância de Gossard, terminando o material para o disco. Ao mesmo tempo, Gossard, Ament e McCready formavam um novo grupo, que seis meses depois estouraria como o Pearl Jam com seu primeiro álbum, “Ten”, lançado no final de agosto de 1991, cinco meses depois de “Temple Of The Dog”.

Vedder

Os dois discos foram gravados no mesmo estúdio, o London Bridge, em Seattle, e produzidos por Rick Parashar – que também produziu “Sap” do Alice In Chains, o primeiro disco do Blind Melon, “Silver Side Up”, do Nickelback, e “Have A Nice Day”, de Bon Jovi. O curioso é que o “Temple Of The Dog” só ganhou projeção e reconhecimento depois do estouro de “Ten”. Outra curiosidade é que um sujeito de San Diego foi recrutado para fazer duetos com Cornell em três faixas de “Temple Of The Dog” e o resultado foi “mágico”, como relata o próprio vocalista do Soundgarden. Era Eddie Vedder e sua performance nestas sessões garantiram seu posto no Pearl Jam.

Cornell abriu os braços para Eddie, em Seattle, e isso lhe deu muita confiança”, lembra o baterista Matt Cameron.

Publicidade

Posso dizer que a gravação de ‘Hunger Strike’ foi a primeira vez em que ouvi minha voz em um registro real, profissional”, conta Vedder. “É uma de minhas músicas preferidas, além de ser a mais significativa da minha carreira”, avalia. “Éramos caras despretensiosos e fizemos apresentações maravilhosas entre o final de 1990 e 91, em Seattle. Mas não sabíamos o que o futuro nos reservava e, um ano depois, viramos superstars”, recorda Cornell. “Agora, chegou a hora de fazermos aquilo que não fizemos, lá atrás”.

As chances de a reunião aportar no Brasil são mínimas, mas aí vão as cinco datas confirmadas: dia 4 de setembro, no Tower Theatre, na Cidade da Filadélfia; dia 7, no Madison Square Garden, em Nova Iorque; dia 11, no Bill Graham Civic Center, em San Francisco; dia 14, no The Forum, em Los Angeles, e dia 20, no Paramount Theater, em Seattle. A pré-venda já foi aberta e a venda para o público em geral começa no próximo dia 29. Certamente, outras datas virão! #Música #Rock in Rio