Há várias sequências na agenda de um dos estúdios mais conhecidos (e amados) por espectadores do mundo todo: a Pixar. Desde Procurando Dory, que está atualmente em cartaz e faturando alto em bilheteria, e passando pelas estreias que estão por vir de Carros 3, Toy Story 4  e Os Incríveis 2, muitos fãs ficaram ansiosos por ver o mesmo acontecer com filmes como Divertida Mente, Wall-E e Ratatouille.

Ao que parece, no entanto, não existem planos para sequências nesses casos. Um verdadeiro banho de água fria para quem queria ver o que acontecerá na cabeça da personagem Riley enquanto ela está entrando na adolescência, por exemplo.

Publicidade
Publicidade

O presidente da empresa, Jim Morris, disse em entrevista à Entertainment Weekly que, diferente de outros estúdios, a Pixar não planeja uma sequência logo após o sucesso do primeiro #Filme: “Nós sequer pensamos em uma sequência a menos que o diretor do filme original tenha realmente uma boa história para contar e possa se dedicar inteiramente ao projeto”.

Tirando o longa “Coco” que será lançado em 2017, os próximos filmes da Pixar serão todos continuações de longas já lançados. Porém, Morris afirmou que realizar uma sequência é sempre “perigoso” e levado muito a sério: “Se por um lado temos todo um universo já criado, por outro, sabemos que o público cria expectativas e não podemos decepcionar.”

Portanto, todos os filmes que vierem após as sequências já programadas serão roteiros originais: já há quatro projetos para depois de 2020 e nenhum reutilizará universos ou continuará tramas já apresentadas antes.

Publicidade

No caso especial de Wall-E, Morris não vê necessidade de uma sequência: “É um filme lindo, do qual me orgulho muito. E embora muitas pessoas queiram saber o que acontece com os humanos de volta ao planeta Terra, não estamos mesmo planejando nenhuma continuação. Ele já é uma história de amor pronta, com começo, meio e fim”.

Porém, o diretor também sustenta que “nada é impossível” em se tratado do universo da Pixar e que seus planos são guiados por inspirações. Os fãs de "Procurando Nemo", por exemplo, aguardaram treze anos para ver uma sequência e, no caso de "Os Incríveis", serão aproximadamente quinze anos entre um longa e outro. Portanto, aos fãs de continuações, por via das dúvidas, resta esperar um pouquinho (mais).  #Cinema #Arte