A ilha grega de Paros pode ser considerada uma verdadeira joia das Cíclades (arquipélago disposto em forma de círculo no Mar Egeu), possuindo incríveis belezas naturais, aldeias típicas, comida grega deliciosa e uma vida noturna bem agitada, porém, o que é mais um atrativo para a indústria do #Turismo na Grécia, mais especificamente em Paros, é o chamado turismo religioso, tendo, na Igreja de Panagia Ekatontapyliani, o seu principal atrativo na ilha, bem como, inúmeros outros mosteiros espalhados pelo local. 

No decorrer dos últimos anos um grande número de visitantes da própria Grécia e de outros países que professam a #Religião Ortodoxa visitam a Igreja de Panagia todo o dia 15 de agosto, que é o dia da Virgem Maria, no sentido de cumprir com suas obrigações de caráter religioso, peregrinando em direção ao famoso ícone, que muitos acreditam ter sido pintado por Lucas, o médico e apóstolo. 

De qualquer modo, os turistas quando passeiam pelas ruas estreitas das aldeias da ilha, verdadeiros labirintos ou mesmo em visitas com guias turísticos às regiões campestres, encantam-se descobrindo várias igrejas que se proliferam uma após a outra nas esquinas, nos campos, nas colinas, algumas mais conservadas e outras nem tanto. 

Os visitantes estrangeiros ficam ainda mais estupefatos quando têm a chance de assistir a uma missa nessas igrejas ortodoxas gregas, muitas delas sendo bem pequenas não podendo acomodar muitas pessoas em seus interiores.

Publicidade
Publicidade

O artifício é promover as comunhões em dias diferentes do habitual domingo de missas e também realizar os eventos simultaneamente em igrejas que se localizam a curta distância umas das outras. 

Após os eventos sacros, os turistas e outras pessoas são convidados para o estranho costume de saborear doces e bebidas em uma festa improvisada que pode durar muitas horas e é uma alusão ao banquete 'Agape' (uma das traduções para amor em grego), oriundo dos costumes dos cristãos do 1º século. 

Enfim, a tradição em Paros determina que cada família da ilha, se possível, deve manter o seu nome em uma pequena igreja dedicada a um Santo específico — ou para um dos muitos nomes da Virgem Maria e do Cristo — dentro de sua propriedade. Às vezes, a construção de uma igreja como essa é feita como uma oferta a algo que a pessoa prometeu depois de ter passado por algum problema familiar, que tenha sido resolvido com a ajuda de Maria, mãe de Cristo, ou do próprio filho dela, conforme atestam os gregos insulares. 

Nos dias específicos desses santos padroeiros, as igrejas oferecem uma missa especial, sendo adornadas pelas famílias e amigos que se reúnem no local.

Publicidade

É imperativo para os costumes locais que as novas gerações deem continuidade à tradição dos seus ancestrais e, quando se casam e ficam longes de seus pais, acabam, na maioria das vezes, encontrando ou construindo a sua própria igreja familiar. Daí o resultado do número das igrejas na ilha só aumentar. 

A tradição, pelo visto, continua viva na ilha grega de Paros, especialmente nos meses de verão, quando os dias dos santos importantes são muitos e o clima é favorável para esses encontros, ficando as igrejinhas apinhadas de pessoas. É um espetáculo único e altamente recomendável para todos os visitantes que chegam à ilha. #Europa