Apaixonado por #Futebol e pelo Grêmio, clube para o qual compôs o hino, o sambista Lupicínio Rodrigues também tentou se arriscar no esporte mais popular do país. Segundo o livro “Almanaque do Lupi”, lançado pelo jornalista e pesquisador Marcello Campos no ano passado, Lupi era um meia sem grande talento, mas que adorava participar das pedalas no bairro Ilhota, em Porto Alegre, onde nasceu e cresceu. Ele chegou também a integrar algumas equipes amadoras do período, mas foi na #Música que encontrou sua vocação.

Conhecido como um dos mais bonitos do Brasil, o hino do Grêmio surgiu para o compositor de forma curiosa, como recorda o livro.

Publicidade
Publicidade

Em 1953, o tricolor gaúcho enfrentaria o Cruzeiro. No mesmo dia, motoristas, cobradores e motorneiros realizava uma greve, o que dificultava a chegada até a Baixada, antigo estádio do Grêmio. Inspirado pela situação, Lupi criou o refrão que ficou eternizado na alma dos torcedores gremistas:

Até a pé nós iremos / Para o que der e vier / Mas o certo é que nós estaremos / Com o Grêmio onde o Grêmio estiver... #Entretenimento