A Editora Perse aquece o mercado editorial com mais um lançamento na próxima sexta-feira (30), da aguardada antologia poética "Lá? Não, ali?", da jovem escritora carioca, Tamara Marques, que tem sido apontada em publicações especializadas como promessa da nova safra literária.

O livro fica disponibilizado a partir do dia 30 deste mês para compra em todo o Brasil e exterior, na loja virtual da editora e integra o amplo catálogo de poesias da Perse. A editora tem apostado no gênero e se destacado no mercado editorial alternativo pelo investimento em novos autores.

Egressa da internet, a autora, de 23 anos, que cursa publicidade na PUC, publica poemas, contos e crônicas nos blogs Refantasiar e Pequenos Eternos. Ela justifica a escolha da poesia para seu primeiro livro como um fluxo natural do seu trabalho, em que a escrita poética assumiu protagonismo:

“Não diria que foi exatamente uma escolha minha, mas sim algo que foi acontecendo. Aos poucos a poesia passou a ocupar um espaço protagonista na minha vida e na minha escrita.” diz. 

“Lá? Não, ali.” marca a estreia de Tamara Marques no formato impresso e conduz o leitor com texto delicado e objetivo, como se buscasse a essência da ideia escrita mesclando poemas curtos com outros mais longos.

Publicidade
Publicidade

A coletânea de textos surge da maturação dessa linguagem iniciada na internet fazendo o caminho da web para o impresso.

Na opinião da autora, esse é um livro essencialmente afetivo que propõe ao leitor um mergulho em suas reminiscências:

“Acho que o leitor pode esperar nostalgia.“Lá? Não, ali” traz um bocado de saudades e memórias que não me pertencem, mas que também são minhas. Fragmentos de histórias, vidas e personagens inventados que passam por nós todos os dias, atravessando a rua, trabalhando, respirando e sentindo.” revela a autora. 

Na opinião da escritora, a internet é um catalisador de possibilidades para novos autores e uma ferramenta que, se bem utilizada, propicia um diálogo enriquecedor tanto para o autor quanto para o leitor.

Contudo, Tamara revela que o processo de esboço da sua escrita muitas vezes começa à moda antiga, com lápis e papel, como se houvesse uma necessidade de conexão material com o seu texto:

“Mesmo que na ausência de cadernos, que eu possa recorrer ao bloco de notas do celular, por exemplo, sempre tenho a necessidade de posteriormente passar aquele texto para o papel. Por mais que a edição de textos seja bem mais fácil no plano digital, há algo no texto físico, propriamente dito, que não consigo deixar de lado. Talvez seja a liberdade de poder riscar isso ou aquilo e fazer uma “bagunça” tão minha quanto o próprio texto.”, diz Tamara.  #TamaraMarques #EditoraPerse #Literatura