Uma mulher pega o trem para Manhattan todo dia. Durante o trajeto, costuma observar as pessoas que moram próximas da linha férrea. Um casal chama sua atenção, e ela passa a observá-los diariamente. Eles são, ou parecem ser, tudo o que ela gostaria; tudo o que teve e perdeu: um relacionamento feliz de marido e mulher, um lar, uma vida a dois.

Um dia ela vê algo que destrói o que havia imaginado em relação ao casal. E sente como se ela própria fosse afetada. Em seguida, a mulher desaparece, e o marido é considerado suspeito do desaparecimento.

A garota no trem é um suspense com forte teor dramático, adaptado do livro de mesmo nome da autoria de Paula Hawkins.

Publicidade
Publicidade

É a história de três mulheres, contada do ponto de vista delas, com toda sua carga emocional individual.

Rachel Watson (Emily Blunt, de No Limite do Amanhã) é a mulher no trem. Alcoólatra, perdeu tudo para o vício. O ex-marido Tom (Justin Theroux, de Dez Mandamentos Muito Loucos) vive agora com sua nova esposa, Anna ( Rebecca Ferguson, de Missão Impossível - Nação Secreta) e, para Rachel, é difícil lidar com a situação.

E Megan (Haley Bennett, de Sete Homens e um Destino) é a mulher que Rachel idealizou como sinônimo de perfeição. Megan, no entanto, tem seus segredos.

A história foi bem adaptada. O diretor Tate Taylor e sua equipe conseguem trazer, para as telas, a atmosfera claustrofóbica desse livro em que os personagens, todos, possuem uma profundidade psicológica perturbadora.

A narrativa, tanto no livro como no #Filme, alterna momentos do passado e do presente, o que requer maior atenção - às vezes, a trama pode parecer confusa, embora tudo seja explicado.

Publicidade

E o tema não é fácil: alcoolismo e voyeurismo juntos, como se um justificasse ou explicasse o outro. É difícil digerir. Na própria trama isso fica claro: quando, por exemplo, Rachel procura a polícia para relatar o que havia visto do trem - bêbados não são testemunhas confiáveis. De fato, não são.

A autora não esperava o sucesso alcançado por seu livro de estreia. Hawkins diz que escreveu essa história baseada na experiência pessoal de ficar observando residências e pessoas quando pegava o trem para Londres. Se, no livro, devemos o sucesso da trama à curiosidade e engenhosidade da autora, no filme é ao elenco que devemos agradecer: as três atrizes souberam trazer suas personagens ao público.

Estreia dia 27 de outubro. #Entretenimento #Cinema