Naquela noite de 8 de dezembro de 1980, Lennon voltava para seu apartamento no edifício Dakota, em Nova York, localizado na frente do Central Park. O ex-beatle voltava de um estúdio, onde preparava canções para mais um álbum. Horas antes, ao sair, ele havia distribuído autógrafos e posado para retratos com fãs, como fazia com frequência. Naquele dia, um jovem chamado Mark Chapman havia pedido um autógrafo para Lennon em sua edição de Double Fantasy, seu mais recente disco.

Munido de um revolver calibre 38, Chapman disparou cinco vezes contra Lennon, acertando quatro. O músico foi levado para o hospital, mas não resistiu e faleceu horas depois, aos 40 anos de idade.

Publicidade
Publicidade

Chapman foi preso no local do crime, onde permaneceu após disparar os tiros, segurando uma edição do livro O Apanhador No Campo de Centeio, de J.D. Salinger, que ele dizia ter servido de motivação para o assassinato de Lennon.

A trágica morte de John Lennon foi muito lamentada em todo o mundo. Conhecido por defender a paz e a harmonia, o músico foi vítima da violência contra a qual lutava. Em sua homenagem, foi criado um memorial chamado Strawberry Fields Forever no Central Park, em frente ao Dakota, onde o crime ocorreu. #Entretenimento #Famosos #Música