A #Itália é um dos países europeus localizado no sul do continente, um território banhado pelo mar Mediterrâneo e por #belezas fora do comum. Hoje, residem aproximadamente 59,8 milhões de habitantes, seu território chega a 301.268Km².  Alem disso, a Itália é uma país muito bem desenvolvido tendo um dos maiores PIBs do mundo, chegando a uma média de 417.237 milhões de euros, desta forma, sendo situada como a 7ª economia no ranking do PIB. Mas não é só economicamente que o país é belo, também existe uma grande riqueza no que diz respeito as suas paisagens arquitetônicas, históricas e culturais.

Nos milênios da civilização italiana, se produziu um número incalculável de obras de diversos gêneros da arte.

Publicidade
Publicidade

Muitas dessas mudanças aconteceram pelas mudanças econômicas, sociais e ideológicas, que acabaram refletindo nos artistas e no modo em que eles viam o mundo. Isso se incluiu também nas belezas arquitetônicas, que, nem sempre, são fáceis de serem distinguidas, pois na Itália existe uma variação abrangente delas.

Sua importância se encontra nas ruínas, pois estas preservaram parte da sua própria história

Os italianos, desde sua infância, aprendem a distinguir qual #Arquitetura é aquela exposta. Já, nós, brasileiros, não aprendemos tanto sobre estas variações arquitetônicas, sempre estudamos mais quem foi aquele povo e, na maioria dos casos, suas guerras mundiais. Pouco vemos o estudo arquitetônico das culturas em geral.  A arquitetura italiana se constitui de alguns traços, que compõem a beleza do país.

Publicidade

O primeiro importante estilo arquitetônico em solo italiano foi sem dúvidas o grego. O sul da Itália possui diversas colônias gregas, mas Paestum, com certeza, é a mais bela, uma cidade com a arquitetura da antiga Grécia em plena região da Campanha italiana e com uma preservação maior do que muitos sítios arqueológicos no território grego.

A arquitetura foi incorporada e aprimorada com o elementos da própria cultura grega, assim como o uso de pilares indica a grandiosidade e a harmonia. Nas igrejas românicas, além delas serem grandes e sólidas elas passam a ser chamadas de fortaleza de Deus.

Outro estilo é o gótico e sua arquitetura foi predominante no final da Idade Média. No estilo gótico italiano, é comum o uso de três pilares de mosaicos nos frontões e de pedras de diferentes cores como elementos decorativos. A palavra gótico tem origem no nome dos godos, povo bárbaro que ocupou boa parte da Europa, após a queda do Império Romano.

Os arquitetos deste período têm mais autonomia, por isso, se cria um estilo cada vez mais particular, mas não fogem do padrão clássico. Por isso, podemos dizer que é redescoberta, por causa do aperfeiçoamento dos temas, padrões estéticos e técnicas arquitetônicas clássicas, que gregos e romanos haviam dominado mais de mil anos antes.