Foi em 1991 que o piloto de carros e ídolo nacional Ayrton Senna ganhou seu último título mundial na Fórmula 1. Era o tricampeonato comemorado no Japão. Para relembrar e comemorar a conquista, uma parceria entre o Instituto Ayrton Senna e a BB Editora foi selada para se fazer algo inédito: o primeiro museu a céu aberto do mundo. Serão onze esculturas do piloto espalhadas por diversos pontos da cidade de São Paulo.  As estátuas relembrarão momentos emocionantes da carreira e da trajetória de Ayrton.

Este museu ao ar livre terá duração determinada, isto é, a exposição ganhará lugares turísticos, mas não será uma exibição permanente nesses locais.

Publicidade
Publicidade

Elas serão apreciadas no período que vai de 20 de outubro a 15 de novembro de 2016. Após essa data, os fãs poderão curtir as peças em um espaço permanente no Autódromo de Interlagos. As obras foram confeccionadas pelo artista plástico Rafael Sanches.

Somando-se a isto, o projeto dos 25 anos do tricampeonato inclui o lançamento de um livro: “Ayrton Senna, um herói  moldado de alma, coração e aço!”, cujo conteúdo aborda os rascunhos do projeto, a elaboração e a criação das estátuas, acompanhados de textos explicativos sobre cada obra desenvolvida. Em complementação ao livro, miniestátuas iguais às exibidas pela cidade estarão disponíveis para aquisição, para a felicidade dos aficionados do #Automobilismo e, em particular, de Ayrton Senna.

Para quem quiser fazer o circuito completo do museu a céu aberto durante a temporada mencionada, aqui vão os pontos escolhidos para visitação:

·         Federação das Indústrias de São Paulo – Fiesp;

·         #Esporte Clube Pinheiros;

·         Rodovia Ayrton Senna;

·         Colégio Rio Branco (Higienópolis);

·         Autódromo de Interlagos;

·         Aeroportos de Cumbica, Viracopos e Congonhas;

·         Os shoppings Morumbi, Eldorado e Anália Franco;

·         A sede do Twitter em São Paulo.

Publicidade

Vale frisar que o Colégio Rio Branco foi escolhido por ser a escola que Ayrton frequentou por alguns anos.

Segundo o artista Rafael Sanches, “nos 11 anos de Fórmula 1, tentamos ser fieis a cada grande momento do piloto. Chegamos ao melhor de Ayrton Senna”. #Famosos