Ben-Hur foi escrito em 1880 por Lew Wallace. Era uma aposta entre Wallace e um amigo. O desafio era escrever um livro que provasse se Jesus Cristo havia ou não existido. O resultado dessa aposta é um dos maiores clássicos da #Literatura universal. 

Para escrever Ben-Hur, Wallace passou dois anos em bibliotecas, estudando e pesquisando história antiga, história de Roma, civilizações antigas, a vida de Cristo e leu a Bíblia mais de uma vez.  

Ben-Hur é um romance histórico que se passa na época do Império Romano. É a história de um jovem príncipe judeu que, após ser traído pelo amigo de infância, é condenado a remar nas galés como escravo.

Publicidade
Publicidade

Após libertar-se, vai em busca de vingança.

São dois os diferenciais dessa obra literária: a caracterização precisa da época e o fato do personagem ter vivido na mesma época que Cristo. Suas vidas se cruzam em diversos momentos, e o autor consegue retratar muito bem um período histórico importante, cujas influências podem ser vistas até os dias de hoje.

Carol Wallace, trineta do autor e escritora, achou que era hora de atualizar a história. Ela diminuiu as longas descrições de lugares, que considerou desnecessárias nos dias de hoje, eliminou frases em latim, utilizadas quando os personagens praguejavam, e aprofundou as personagens femininas.

Carol também dinamizou toda a linguagem usada no livro, que visava reproduzir o falar da época, para uma escrita mais atual. Dessa forma, a história ganhou uma nova narrativa.

Publicidade

O conteúdo permanece o mesmo. A autora desejava apenas que sua leitura se aproximasse mais do público de hoje, e não descaracterizar a obra original e sua importância.

Ben-Hur deve ser lido pelo seu valor de romance histórico, e não pensado como um livro cristão ou religioso. Ao retratar o domínio do Império Romano como todo o seu poderio e tirania, é possível entender os motivos políticos que levaram à condenação de Cristo, alheios a qualquer motivo de caráter espiritual.

Ben -Hur. Carol Wallace. Trad. Antonio Carlos Reis. Editora Gutenberg. 320 págs. #Entretenimento #Livros