Os irmãos Max e Iggor Cavalera são os fundadores do Sepultura, a mais importante banda de heavy #Metal brasileira de todos os tempos. E apesar de não fazerem mais parte do grupo, continuam juntos na estrada com seus diversos projetos, como o Soulfly (capitaneado por Max), o Cavalera Conspiracy (com ambos), entre outros.

Foi com a formação que contava Max Cavalera (vocais e guitarra), Iggor Cavalera (bateria), Paulo Junior (baixo) e Andreas Kisser (guitarra) que o Sepultura se projetou mundialmente ao lançar álbuns relevantes na cena do rock pesado. Mas o grande sucesso aconteceu em 1996, com o lançamento do revolucionário Roots, que misturava referências da #Música brasileira e que vendeu mais de dois milhões de cópias em todo o mundo, tornando-se um inquestionável clássico do estilo.

Publicidade
Publicidade

Logo após o fim da turnê mundial do Roots na época, Max desligou-se da banda e fundou a seguir a sua própria banda, o Soulfly. Iggor saiu do Sepultura apenas em 2006. No mesmo ano, os irmãos voltaram a tocar juntos.

Os irmãos celebrarão os 20 anos de lançamento de Roots com uma turnê especial, onde o álbum será tocado na íntegra. Os shows passarão pela Argentina, Chile, Colômbia e México, porém o destaque vai para as três datas no Brasil.

A Return to Roots Tour passará pelo Rio de Janeiro no dia 14 de dezembro, Belo Horizonte em 15 de dezembro e, finalizando o giro, em São Paulo em 16 de dezembro.

Antes da América Latina, Max e Igor se apresentam nos Estados Unidos e Europa.

Andreas Kisser questiona a homenagem

O guitarrista do Sepultura, Andreas Kisser, em entrevista para o UOL, afirmou estranhar a homenagem de 20 anos do Roots por parte dos irmãos Cavalera: “Não vejo muito sentido nisso, até porque é um álbum difícil de ser tocado na íntegra por contar com jams e 16 músicas, o que torna a apresentação longa.

Publicidade

Na verdade, acho meio melancólico, pois eles não fazem mais parte da banda e decidem homenagear um disco do Sepultura. No mínimo estranho. Nós, do Sepultura, preferimos focar o futuro, apesar de reconhecermos a importância do Roots. Além do mais, fizemos uma turnê para celebrar os 30 anos da banda recentemente”.

Por sua vez, Max destaca que a ideia de celebrar as duas décadas do álbum partiu de sua esposa e empresária, Gloria, e que os irmãos toparam a empreitada porque o material provou que resistiu ao tempo. “Nunca fiz uma turnê tocando um disco inteiro e acho que é muito legal. Sabemos que teremos que nos esforçar para reproduzir o material, devido a sua complexidade. Só que tenho certeza que será uma homenagem à altura que o Roots merece”, finaliza Max.

Serviço

Max e Iggor Cavalera – Return to Roots Tour:

14 de dezembro

  • Belo Horizonte
  • Music Hall

 

15 de dezembro

  • Rio de Janeiro
  • Imperator

 

16 de dezembro #HeavyMetal

  • São Paulo
  • Tropical Butantã