É engraçado como estamos sempre preocupados com problemas que são em sua maioria particulares, como pagar contas mensais, fazer uma reforma na casa, comprar um carro novo, superar uma doença, ou ainda coisas mais corriqueiras como levar o filho a escola. É engraçado porque em geral, não nos preocupamos, por exemplo, com possíveis ameaças ao planeta terra, ou a fome na África, ou mesmo coisas que estão ainda mais próximas da gente como o desmatamento na Amazônia.

É claro que não se trata de nos especializarmos em tudo, mas sim de compreendermos que existe uma grande importância em os homens terem interesses e opiniões diferentes, assim pela própria natureza, alguns estarão interessados pelas artes, outros por esporte, uns por empreendimentos, e alguns por ciência e física, este é o caso do carioca Marcelo Gleiser (57), que em seu novo livro "A simples beleza do inesperado" usa a pesca como pano de fundo para abordar questões existenciais, e mistérios que sempre nos intriga e faz com que nos movimentemos em busca de respostas. 

Olhar pro céu, e refletir, é um exercício de nos apequenar diante do pouco que sabemos fora do nosso planeta, e também o jeito certo de aprender #Ciência.

Publicidade
Publicidade

A experiência de olhar é muita mais expansiva e mais eficiente para formular perguntas com base no que está diante dos nossos olhos.

Marcelo Gleiser responde: Do que se trata o livro?

Construo essa imagem de que na vida da gente ocorrem surpresas. Isso é o inesperado: uma pessoa nova que você conhece, uma coisa que você não aguardava, nem que seja estar andando com sua namorada e perceber o pôr do sol, que é extremamente importante naquele momento. São coisas que redefinem os caminhos que tomamos. Muita gente tende a atribuir às obras de Deus ou a coisas meio sobrenaturais e, ao fazer isso, elas acabam deixando de apreciar a beleza daquele momento pelo que ele realmente é.

Outra questão que também é abordada no livro é sobre o futuro da humanidade, e a finidade de nossos recursos, e ainda comenta sobre a capacidade do planeta, afirmando que o planeta tem condição de suportar 10 bilhões de pessoas, caso todos fossem vegetarianos, agora não sendo vegetarianos, o planeta suportaria apenas 2 bilhões e meio de pessoas, porém a população já esta em 7,2 bilhões, isso significa que já tem muita gente passando fome.

Publicidade

Fora outros problemas que temos com a poluição, a escassez da água, e energia, tudo nos leva a um futuro nada otimista, mas a busca por conhecimento e por saber o que cada um pode fazer pra mudar esse futuro sombrio nos resgata a esperança. #Brasil

  •  Livro: "A simples beleza do inesperado"
  •  Autor: Marcelo Gleiser 
  •  Editora: Record • 136 páginas • R$ 39,90 (preço sugerido)