Quando se pensa em #Bob Dylan, o que vem à mente são as canções com longas letras e versos poéticos, mas Dylan acaba de ser reconhecido pela Academia Sueca como um talento que foi capaz de influenciar a cultura contemporânea. Anunciado vencedor do Prêmio #Nobel de Literatura, na manhã desta quinta-feira (13), para surpresa do mundo literário, o músico, escritor, pintor e ator, que tem show agendado para esta noite em Las Vegas, foi muito além da poesia cantada, embora esta tenha sido sua carreira de maior sucesso e o real motivo da premiação.

Dylan e os livros

O primeiro livro publicado por Bob Dylan foi "Tarântula", com poesias escritas entre 1965 e 1967.

Publicidade
Publicidade

O segundo é uma autobiografia intitulada "Crônicas - Vol. 1", que conta sua história a partir da mudança para Nova York, em 1961. Best seller nos Estados Unidos, o livro foi lançado em 2005 no Brasil, mas está esgotado. A Editora Planeta, detentora dos direitos de publicação, deve lançar nova edição depois desta premiação.

Duas obras infantis foram inspiradas em letras de Bob Dylan. "O homem deu nome a todos os bichos", escrito a partir da canção Slow Train Coming, e "Forever Young", que mescla a letra da música de mesmo nome com momentos da vida de Dylan. "If dogs run free" e "Blowing in the wind" também tiveram edições ilustradas para crianças.

Bob Bylan foi tema de outros autores. "Like a Rolling Stone: Bob Dylan na encruzilhada", de Greil Marcus, analisa suas músicas e seu processo criativo.

Publicidade

"No Direction Home: A vida e a música de Bob Dylan", escrito pelo jornalista norte-americano Robert Shelton, é considerado uma biografia definitiva sobre o começo da carreira do músico nos anos 1960.

A vida de Dylan também foi roteiro de cinema. "I'm not there", dirigido por Todd Haynes, teve no elenco seis atores representando diferentes fases, com destaque para Cate Blanchett, que foi indicada ao Oscar de melhor atriz coadjuvante.

Nobel, Pulitzer, Oscar, Grammy e Globo de Ouro

Somando o Nobel aos outros prêmios já conquistados por Bob Dylan, o músico se torna um recordista e o único a ser agraciado com todos estes que são os maiores prêmios concedidos a artistas.

Obviamente, o maior número de prêmios foi conquistado com a música: 11 Grammys, incluindo o de 1991, pelo conjunto da obra.

Em 2001, ganhou o Oscar e o Globo de Ouro com "Things have changed", trilha sonora de "Garotos Incríveis".

Em 2008, Dylan ganhou o prêmio Pulitzer.

Like a Rolling Stone

Aos 75 anos de idade, 54 de carreira, com inúmeros sucessos, "Like a Rolling Stone" marcou a verdadeira "virada" do compositor folk para o rock'roll, em 1965. De acordo com pesquisa publicada pela revista norte-americana Rolling Stone, esta é a canção número um entre as melhores de todos os tempos.