Um casal passa por uma crise de relacionamento devido a acontecimento trágico. Para tentar se acertar, decidem mudar com o filho de cinco anos para uma casa no campo. E não é que a casa é mal-assombrada? O problema de O quarto dos esquecidos nem é ser clichê, uma vez que o tema, mesmo batido, ainda conta com bons exemplos. É o próprio diretor que estraga o #Filme.

Tudo começa quando a esposa, Dana, interpretada por Kate Beckinsale (Anjos da Noite, Van Helsing), descobre um quarto que não constava na planta original da casa. O quarto possui chão de metal e uma porta que somente pode ser aberta pelo lado de fora. Ela decide, então, investigar os antigos proprietários do imóvel.

Publicidade
Publicidade

A partir daí, Caruso vai construindo, aos poucos, uma história interessante. A personagem alterna suas descobertas com momentos de terror, e a trama segue bem.

Então, quando o filme está prestes a atingir o ápice horroroso, a situação muda e tudo cai por terra. É como se o diretor tivesse "amarelado" ante à ideia original, e resolvido amaciar as coisas. Pena, porque estava com bom material em mãos: o filme tem um quê de real.

O quarto dos esquecidos é baseado em um acontecimento ocorrido em Rhode Island, nos Estados Unidos. Laurie Dumas, funcionária da biblioteca local, comprou uma casa datada de 1857. Na casa, havia um quarto que ela achou estranho: tinha um chão de metal com ralo, e fechadura só do lado de fora da porta.

Intrigada, Dumas começou a pesquisar e fez descobertas interessantes.

Publicidade

A casa pertencera ao proeminente juiz Job Smith Carpenter, e sua esposa Frances Ellen Carpenter, já falecidos. No cemitério onde a família do juiz foi enterrada, existe a sepultura de uma menina, Ruth, "filha de Job & Frances E. Carpenter, 1895 - 1900". Mas não há nos jornais locais nenhuma menção ao nascimento dessa criança, e apenas uma nota de sua morte, embora o casal fosse presença constante nas páginas sociais.

Era comum, antigamente, pais envergonhados esconderem filhos deficientes ou retardados da sociedade. Essas crianças viviam confinadas em quartos conhecidos como disappoitments rooms - daí o título original do filme, The disappoitments room. Especula-se, com boa chance de acerto, que tenha sido o caso de Ruth. E o fato do casal não ter tido nenhum outro filho reforça essa hipótese.

O filme estreia nas salas de #Cinema no dia 13 de outubro. #Curiosidades