Com canções e álbuns revolucionários, os Beatles marcaram seu espaço como a banda de maior sucesso na história da #Música pop. Ainda no início do período de sucesso da banda, John Lennon se casou com Cynthia Powell, com quem teve seu primeiro filho, Julian. Em 1966, Lennon conheceu aquela que se tornaria a paixão da sua vida: a artista japonesa Yoko Ono. Apesar da atração inicial, o casal só foi se relacionar em 1968. No mesmo período, Lennon se separou de Cynthia. Em 1970, motivados por disputas e tensões internas, os Beatles se separam.

Ao lado de Yoko Ono, Lennon passa a se interessar por outras formas de arte, e passa a incorporar alguns desses elementos em seu trabalho como artista solo.

Publicidade
Publicidade

O casal também ficou famoso por realizar os “bed-ins”, protesto artístico em que convidavam jornalistas para visitarem seu quarto enquanto pediam pela paz no mundo.

Os temas de luta social também se tornaram uma importante parte da vida de Lennon, que passou a advogar pela paz e pela igualdade de direitos em músicas e protestos diversos. Em 1971, o casal se mudou para Nova York. Alguns anos depois, John e Yoko enfrentaram uma crise conjugal. Separados por um tempo, Lennon mudou-se para Los Angeles com a assistente de Yoko, May Pang, com quem tinha um caso. Ainda apaixonado pela esposa, Lennon chamou o período de “fim de semana perdido”. Já reatados, o casal têm seu único filho, Sean, nascido em 1975. Encantado com a paternidade que não exerceu com Julian, Lennon decide dar um tempo na carreira para ser pai em tempo integral.

Publicidade

Em 8 de dezembro de 1980, quando prepara seu retorno para a música, Lennon teve sua vida interrompida. Após voltar de um estúdio de gravação, o músico parou para dar autógrafos na frente de seu prédio, o Dakota, em Nova York. Ali, foi assassinado a tiros por Mark Chapman, que pouco antes havia tirado uma foto e pedido um autógrafo para Lennon. Ele tinha 40 anos de idade. #Entretenimento #Famosos