O compositor Bob Dylan não estará presente na cerimônia de premiação do Prêmio Nobel, que será realizado no dia 10 de dezembro, em Estocolmo, capital da Suécia. Segundo o site oficial da Academia Sueca – responsável pelo evento –, o norte-americano, ganhador na categoria de Literatura, alegou conflitos de agenda. Com a decisão de Dylan, aumentam as polêmicas sobre a decisão de o artista ter sido o laureado da edição deste ano, já que ele possui somente dois livros publicados.

Após o anúncio feito pela Academia Sueca, no dia 13 de outubro, o músico, conhecido por sua personalidade introspectiva , demorou bastante para conceder qualquer tipo de declaração e se aceitaria o prêmio de 8 milhões de coroas suecas (870.000 dólares).

Publicidade
Publicidade

Posteriormente, através de um comunicado oficial no final de outubro, Bob Dylan agradeceu publicamente o reconhecimento, mas deixou em aberto se estaria presente na cerimônia. Entretanto, o artista revelou que a agenda lotada de dezembro é um impedimento para sua viagem até a Europa.

A Academia Sueca lamentou a ausência do compositor e explicou que, para receber o prêmio, Dylan terá de divulgar uma declaração em no máximo seis meses após o dia 10 de dezembro. "Esperamos ansiosos pelo discurso do Nobel de Bob Dylan”, disse o comunicado da instituição, que também explicou o motivo da desistência do norte-americano de viajar a Estocolmo, alegando que ele já havia agendado outros compromissos para o próximo mês.

O compositor de clássicos como "Like a Rolling Stone”, “Hurricane”, “Mr. Tambourine Man”, “Blowin’ the Wind”, “Knockin’ On Heaven’s Door”, dentre outras músicas consagradas, escreveu o livro de poesias “Tarântula”, entre 1965 e 1967. Posteriormente, Dylan retratou sua mudança para Nova York, em 1961, com "Crônicas - Vol.

Publicidade

1". Apesar de ser considerado um compositor cuja poesia emana em suas canções, a escolha de um músico para o Nobel de #Literatura gerou muitas controvérsias, especialmente entre os especialistas e mídia em geral, que apostavam em escritores “tradicionais” para o Nobel desta temporada. Em 2007, a romancista britânica Doris Lessing venceu o prêmio, mas enviou um editor em seu lugar, para ler seu discurso de ganhadora. Além dela, o também britânico Harold Pinter e a austríaca Elfriede Jelinek não compareceram quando foram agraciados pela Academia Sueca. #Entretenimento #Cultura