A Inglaterra teve Charles Chaplin. Os EUA, Buster Keaton. O ator nasceu em 1895 no Kansas, num mundo "vaudeville" (mistura de circo com teatro) e, assim, tornou-se um artista muito precoce, junto com seus pais. Depois de uma frustração de seu pai, ao envolvimento com o álcool, Keaton mudou-se para Nova York, encontrando seu amigo Roscoe “Fatty” Arbuckle, que o convidou para participar de um curta chamado The Butcher Boy e como o sucesso do rapaz foi grande, recebeu o convite para mais quinze curtas.

Buster Keaton decidiu seguir sua carreira sozinho, o que o tornou um dos grandes ícones da comédia mundial. Por não rir, ficou conhecido como Stone Face ou O Palhaço Que Não Ri.

Publicidade
Publicidade

Infelizmente, o acesso ao trabalho de Buster Keaton traduzido para o português é muito escasso. No entanto, os curtas acessíveis ao público estão no YouTube, em inglês (algumas pessoas de bom coração estão postando legendados), mas nada que tire o brilho do humor do palhaço que nunca ri (e também possibilita treinar o inglês).

Selecionamos abaixo dez curtas para que você possa conhecer esse grande ícone da comédia de forma rápida. Se virar fã do artista, no site www.#busterkeaton.com há outros curtas e filmes dirigidos por ele.

Seus curtas são sempre dinâmicos e ele não mede esforços para mostrar criatividade e genialidade. Todas as listas são injustas, mas quem sabe não dão uma luz para conhecer melhor o artista.

One Week (1920): uma paródia das casas pré-fabricadas nos EUA na época. Buster Keaton mostra ser além do seu tempo.

Publicidade

Na cena onde sua esposa está tomando banho e o sabonete cai, uma mão tapa a câmera, literalmente, em respeito à moça. E destaque para a cena da tempestade.

The Boat (1921): duvido que quando se tornar fã do cara, não queira ter um barco chamado Damfino (que depois é usado no filme College). Se tiver labirintite, não será um bom filme.

The Playhouse (1921): Buster Keaton estava se recuperando de uma fratura no pé, então não poderia fazer as suas peripécias. Isso, por um lado, foi usado a seu favor. Keaton usou sua criatividade fazendo o papel de vários personagens de uma vez, numa tecnologia não muito usada na época.

The Goat (1921): sempre encrencado com a polícia (mas inocente, coitado!).

The High Sign (1921): alguém ainda vai criar um motoclube chamado Blinking Buzzards apenas para usar o código secreto.

Cops (1922): seu curta mais dinâmico e frenético, cheio de gags maravilhosos e peripécias do Stone Face nas acrobacias.

Neighbours (1920): todo seu dote circense é usado nesse curta sem dó.

Publicidade

The Electric House (1922): Sabe aquela mansão que você sempre quis, cheia de tecnologia avançada e praticidade? Este é um filme ideal para qualquer arquiteto.

My Wife’s Relations (1922): baseado em seu relacionamento com as cunhadas, mas cheio de situações inusitadas (principalmente o casamento).

The Love Nest (1923): o irmão mais novo do Damfino, Cupid, entra na aventura de Keaton. Quem nunca quis jogar tudo para o alto e ir embora do mundo? O problema está naqueles que encontramos pelo caminho.

#busterkeatonbrasil #Cinema