O Black Sabbath lançou o primeiro disco homônimo em 1970, consolidando-se, desde então, como um dos principais criadores do Heavy Metal. Após quase cinco décadas de carreira, 19 álbuns de estúdio, clássicos, separações, brigas, diferentes formações e milhares de apresentações, a banda decidiu despedir-se dos palcos com uma extensa turnê, que começou em janeiro de 2016, e só deve se encerrar em fevereiro de 2017, em Birmingham, Inglaterra, cidade natal do Sabbath e onde tudo começou em 1968.

Os shows contarão com ¾ da formação original, que é composta por Tony Iommi (guitarra), Geezer Butler (baixo) e Ozzy Osbourne (vocal).

Publicidade
Publicidade

Apenas o baterista Bill Ward não participará das apresentações de despedida, sendo substituído por Tommy Clufetos.

Para promover as quatro apresentações que serão realizadas no Brasil, Ozzy Osbourne concedeu entrevista exclusiva ao programa Fantástico, da Rede Globo, no último domingo, 6 de novembro.

O encontro foi realizado em Nova York, durante passagem do Black Sabbath pelos Estados Unidos.

Popularidade com os jovens

“Se o meu pai me chamasse para ver uma banda só porque ele gosta, eu iria responder: você deve estar louco”, ironizou Ozzy sobre a popularidade do Sabbath mesmo com os mais jovens.

Parando no auge

O vocalista ressaltou que o álbum “13”, o último gravado pela banda, ficou no topo da lista dos mais vendidos: “Não para ter outro número um nas paradas. Se a gente fizesse outro disco, seria nostalgia.

Publicidade

Faz 47 anos desde que nos juntamos e por isso a gente disse: essa é a hora”.

Tocar no Brasil

“Eu acho que o ritmo e a #Música estão no sangue dos brasileiros. Vocês amam música de todos os tipos. É interessante de se ver”.

Formação quase que original

Sobre o convite do Sabbath para o baterista original, Bill Ward, Ozzy preferiu desconversar: “Não sei o que aconteceu. Já faz muito tempo. Não falo com Bill há vários meses. Não preciso (entrar em contato), ele tem meu número e pode ligar quando quiser”.

Vícios

Parei de beber, de fumar e de usar drogas. Faço exercícios todos os dias, me alimento bem e vou para cama até às dez da noite. Eu digo uma coisa: se você quiser beber não é da minha conta. Mas ficar sóbrio está sendo fenomenal e estou me divertindo como nunca”, finalizou o vocalista sobre a sua vida atual. #OzzyOsbourne #BlackSabbath

Black Sabbath no Brasil

  • 28 de novembro – Porto Alegre – Estacionamento da Fiergs;
  • 30 de novembro – Curitiba – Pedreira Paulo Leminski;
  • 2 de dezembro – Rio de Janeiro – Praça da Apoteose;
  • 4 de dezembro – São Paulo – Estádio do Morumbi.