Dona de personalidade forte e com obras reconhecidas mundialmente, Frida Kahlo (1907-1954) é uma artista pautada de modo recorrente pelo mainstream. Devido as suas produções plásticas, tornou-se um ícone da #Cultura pop com postura social e política, marcantes para uma mulher em seu tempo.

Sua história de vida sempre foi motivo de muita curiosidade e surpresas. Este ano, um quadro desaparecido foi encontrado. Uma #pintura a óleo de 1929, chamada Niña com collar, vai a leilão por 1,3 milhão de euros.

A pintura possui resquícios das influências renascentistas presentes nas obras da artista mexicana e foi pintada no mesmo ano de casamento com o também pintor Diego Rivera (1886-1957).

Publicidade
Publicidade

Ela estava com 22 anos.

Acredita-se que a pintura a óleo está inacabada, mas as cores e força da jovem retratada, incluem a assinatura peculiar de Frida: uma figura humana de uma menina indígena, em cores vivas e atraentes. Toda a atenção se volta para ela, seus olhos negros parecem atingir o espectador onde quer que ele vá.

Pelas características permanentes em suas obras, essa parece ainda esperar os traços do seu próprio retrato com a pose frontal, colar verde destacado e presença estática. Ao longo do tempo, seus autos retratos foram produzidos em demasia motivada, principalmente, pelo seu próprio sustento.

O quadro possui o tamanho de 57x46 e sua existência só era antes conhecida através de fotografia de Lola Álvarez Bravo (1907-1993). O estado de conservação em Niña com colar é excelente e o impacto com os olhos negros da personagem é indescritível, parece observar o futuro.

Publicidade

Entenda o drama vivido pela artista

Quando criança, Frida sofreu de uma severa Poliomelite que deixou mais curta a sua perna direita. Aos 18 anos, sofreu um grave acidente de ônibus e resultou em grandes mudanças na sua vida. Sofreu ferimentos no útero, coluna, costelas, pélvis, clavícula o que comprometeu sua saúde até o fim dos seus dias.

Devido a tantas complicações com a saúde, Frida Kahlo nunca pode ter filhos, e este é um dos temas frequentes em suas obras. Foi como uma ferida sempre exposta através da sua #Arte.