A #Forfun encerrou suas atividades no ano passado, com duas apresentações memoráveis na Fundição Progresso, Rio de Janeiro. Veja abaixo uma linha cronológica das músicas dos caras e deixe a nostalgia tomar conta de você.

O primeiro lançamento da banda foi o 'Das pistas de dança às pistas de Skate', que não é considerado oficial pela banda, porém ele será relembrado aqui.

O álbum contém doze canções e traz as primeiras versões de músicas como ’História de Verão’, ‘Constelação Karina’ e ‘Cara Esperto’, além das Inéditas ‘Garota Floral’, ‘Minha Formatura’ 'O Mundo Vai Girar’ e outras.

'História de verão' foi uma das canções regravadas para o álbum seguinte da banda.

Publicidade
Publicidade

Ocorreram algumas mudanças na letra, como no trecho ‘se lembra da gente no cinema? Eu arrotava alto pra você se envergonhar', que está presente na versão original da canção. Já na versão regravada para o ‘Teoria Dinâmica Gastativa’, a canção ganhou novas palavras e o trecho ficou dessa forma: ‘se lembra do meu Chevette 80? Eu buzinava alto pra você se envergonhar’.

Primeira versão da música:

O trabalho seguinte da banda foi o intitulado ‘Teoria Dinâmica Gastativa’ (TGD), e foi lançado em 2005. A banda já tinha um nome conhecido no underground brasileiro e isso ajudou na divulgação do trabalho. O álbum é considerado por muitos o melhor da banda, pois apresenta uma veia hardcore muito forte com músicas rápidas e muito bem estruturadas.

Toda vez que se fala de Forfun, as músicas que vêm à cabeça normalmente são ‘Good Trip’, ‘Hidropônica’, 'Costa Verde' e muitas outras.

Publicidade

Por isso esse álbum é considerado um marco, pois nele está presente aquela essência adolescente que a banda tinha no começo de carreira e também pelo fato de muitos fãs terem conhecido a banda por meio desse disco. Quem já foi a um show da banda sabe que um dos pontos altos é quando toca qualquer música do ‘Teoria Dinâmica Gastativa’. É aquele momento quando a roda abre e todo mundo começa a pular. Os problemas são esquecidos e a felicidade transborda.

'Polisenso' marca uma mudança muito grande nas canções da banda. O até então guitarrista Vitor Iseense passa a tocar teclado e assume de vez o papel de compositor da banda. A mudança agradou muitos fãs, mas aquela parcela mais radical disse que a banda tinha perdido a essência, porém logo se renderam ao talento dos quatro amigos. Cheio de letras que criticam diversos temas, Polisenso traz também referências de outros estilos como o reggae. Músicas como ‘Gruvi Quântico’, ‘Dia do Alivio’ e ‘Aí sim’ estão presentes no álbum e eram cantadas por todos os fãs nas apresentações da banda.

Publicidade

'Alegria compartilhada' pode ser considerada uma continuação do 'Polisenso', pois o álbum traz muitas referências já apresentadas no seu antecessor. O disco conta com produção de Daniel Ganjaman e com participação de Black Alien na canção 'Cosmic Jesus'.

.

A música 'Morada' faz parte do álbum e tem um instrumental muito bonito e uma letra que deve ter sido escrita em um momento de genialidade do baixista Rodrigo Costa. Já ‘Largo dos Leões’ é conhecida por muitos fãs como a música de ficar "chapado” nos shows, e ‘Minha Joia’ é um lindo reggae que só o Forfun sabe fazer.

"Nú" foi lançado em 2014 e, assim como os últimos dois discos, tem referências de reggae. Músicas como ‘A vida me chamou’ e ‘Coisa Pouca’, que tem um “pegada” do Forfun de 2005, se destacam no disco que ainda conta com uma releitura do sucesso ‘O Papa é Pop’, da banda Engenheiros do Hawaii.

#Brasil #Discografia