A #prefeitura da cidade do Rio de Janeiro, através do prefeito Eduardo Paes, publicou no Diário Oficial desta última terça-feira, 8, um decreto de lei que torna a #umbanda um patrimônio cultural do Rio de Janeiro.

A partir de agora, todos os terreiros de umbanda serão cadastrados no Instituto Rio Patrimônio da Humanidade (IRPH), para que possam receber os benefícios que o reconhecimento oferece.

O instituto atua desde o ano de 2009, com o objetivo de valorizar as religiões de matrizes africanas, entendendo ser este um meio de valorizar também a cultura africana em nosso país e reconhecer suas origens.

O Rio de Janeiro é a cidade com um dos maiores índices de evangélicos no país, apesar de dividir o espaço religioso com católicos e religiosos de matrizes africanas.

Publicidade
Publicidade

Com esse reconhecimento à Umbanda, outras religiões acabaram se tornando coadjuvantes sob o olhar das políticas públicas e da valorização perante a prefeitura do Rio.

Segundo o presidente do instituto, Washington Fajardo, com a umbanda passando a ser valorizada e os terreiros cadastrados, um acompanhamento passará a ser feito a fim de se realizar estudos que possam compreender formas de aumentar o conhecimento desta #Religião pelos cariocas, para que esta possa fazer parte de sua identidade cultural.

Intolerância religiosa como tema de redação do Enem

O decreto da prefeitura sob a valorização da umbanda no Rio de Janeiro foi publicado dois dias após a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que coincidentemente trouxe a intolerância religiosa como tema da redação. Este assunto causou uma enorme discussão nas redes sociais, principalmente, pelo fato de ter sido o tema de uma prova falsa, que circulou pela internet em 2015.

Publicidade

Apesar disso, a dificuldade de se falar sobre a intolerância contra qualquer tipo de religião também é ampliada quando o próprio governo favorece alguma religião como é o caso do Rio, e passa por cima do estado laico, que prevê a imparcialidade do governo em assuntos religiosos, não apoiando ou discriminando nenhuma religião.